Jean - Palmeiras

Jean fazendo treinos físicos em Itu. Volante ainda não está 100% pronto (Foto: Divulgação)

Thiago Ferri
24/01/2016
10:45
Enviado Especial a Montevidéu (URU)

Durante boa parte da temporada passada o Palmeiras teve de lidar com lesões que atrapalharam especialmente no Brasileirão. Desta vez, além de ter montado um elenco que a diretoria considera ser mais completo, a comissão técnica adotou uma postura cautelosa com jogadores importantes.

O exemplo mais recente é o de Jean. Há uma semana no Verdão, o volante participou do jogo-treino contra o River Plate (URU) e nem foi relacionado para o duelo com o Nacional (URU). A intenção é deixá-lo pronto para a estreia no Paulista, domingo que vem, contra o Botafogo-SP.

– Temos de preparar o Jean um pouco mais. Ele estava parado há algumas semanas. Vamos prepará-lo para a estreia no Paulista. Se vai jogar ou não, vai depender do andamento – afirmou Marcelo Oliveira.

Vitor Hugo, com um edema, não está machucado, mas o clube considerou arriscado colocá-lo em campo e por isso não usou o titular durante o torneio no Uruguai. Barrios nem viajou para ficar na capital paulista fazendo fortalecimento muscular, enquanto Arouca e Robinho, que precisam de um tempo maior de recuperação, estão sendo acompanhados cuidadosamente. No sábado, ambos foram substituídos.

- Vi que temos uma boa condição técnica, um time base, e novos jogadores podem ser usados no processo. Temos um leque maior de opções e o aspecto principal que pode melhorar é o recondicionamento físico mais rápido de alguns jogadores do time e que vão alavancar a saída de bola - disse Marcelo.

Depois de modernizar seu departamento médico e a área de recuperação no ano passado, a expectativa no Palmeiras é de que, além de tratar atletas mais rápido, as lesões diminuam por se conhecer melhor o perfil físico de cada atleta – tal cautela faz parte deste mapeamento de 2015.

Até agora, o Alviverde teve duas lesões no ano: Rodrigo, que torceu o tornozelo direito, e Cleiton Xavier, com lesão na panturrilha direita. O volante, que voltaria em um mês, está evoluindo bem e pode voltar antes, enquanto o meia tem tido um histórico de problemas físicos e ficará até dois meses fora.