Thiago Ferri
24/01/2016
01:43
Enviado Especial a Montevidéu (URU)

O Palmeiras terminou 2015 comemorando um título nos pênaltis. Neste sábado, ficou no quase. Depois do empate em 0 a 0 no tempo normal com o Nacional (URU), o vencedor da Copa Antel foi decidido também nas penalidades, mas desta vez com final feliz para os uruguaios. Prass até pegou duas cobranças, fez um gol mais uma vez, mas os erros de Dudu, Allione e Gabriel Jesus deram o triunfo aos donos da casa por 4 a 3 no torneio amistoso jogado no Centenário.

Rivais no Grupo 2 da Libertadores, os dois times fizeram uma partida com a cara do torneio, muito brigada e com poucas chances. Moisés e Erik, destaques contra o Libertad (PAR), começaram a decisão do torneio amistoso pelo Verdão, mas não foram bem como na quarta.

O Palmeiras começou marcando sob pressão, mas logo o Nacional se acertou e trouxe problemas especialmente no lado de Lucas, que não fez um bom jogo. Pecando, assim como em 2015, para sair jogando, o time de Marcelo Oliveira teve sua melhor chance no primeiro tempo com Dudu. Mejía pegou.

Entre entradas mais ríspidas e faltas reclamadas pelo Verdão não marcadas pelo árbitro Esteban Ostojich, os times chegaram a discutir. Nas arquibancadas, os torcedores do Nacional que estavam no Centenário cantaram o tempo todo. Como esperava o Palmeiras, um amistoso com cara de Copa Libertadores.

Com as entradas de Matheus Sales e Gabriel Jesus, o Verdão melhorou e criou boa chance: o camisa 33 desviou, mas Erik não pôde chegar na bola.

Sem gols, o Alviverde se desorganizou e levou sufoco nos últimos minutos – a falta de pontaria do Nacional ajudou. A última chance palmeirense veio de uma cabeçada de Leandro Almeida, mas Mejía pegou e a partida foi para os pênaltis.

Logo no primeiro chute, Prass parou o tiro de Fernández. O goleiro ainda defendeu a batida de Ramirez e converteu a sua, assim como fez na final da Copa do Brasil. Mas os três erros do Verdão definiram o título para o Nacional. O Palmeiras volta do Uruguai sem a taça do amistoso, mas sabe que ainda precisa melhorar e de quebra ganhou um pouco da "cara de Libertadores" que desejava. Agora, o foco é o Paulista. A estreia será no domingo que vem, contra o Botafogo-SP, fora de casa.

FICHA TÉCNICA: 
NACIONAL 0 (4) x 0 (3)PALMEIRAS


Data e horário: 23 de janeiro de 2016, sábado, 23h15
Local: Estádio Centenário, Montevidéu (URU)
Árbitro: Esteban Ostokich (URU)
Assistentes: Miguel Nievas e Hebert Bogao, ambos do Uruguai
Cartões amarelos: Romero e Gorga (NAC); Robinho (PAL)

NACIONAL (URU): Mejia; Eroza (Fucile 13’/2º T), Gorga, Polenta e Olivera; Romero (Eguren 21’/2º T) , Carballo, Ramírez e Tabó (Barcia 22’/2º T); López (Fernández 27’/2º T) e Macia (González 14'/2ºT). Técnico: Gustavo Munúa

PALMEIRAS: Fernando Prass; Lucas (João Pedro 21’/2º T), Edu Dracena e Zé Roberto; Arouca (Matheus Sales 13'/2ºT) e Moisés; Robinho (Allione 35'/2 ºT), Dudu e Erik (Rafael Marques 25’/2º T) ; Alecsandro (Gabriel Jesus 13’/2º T). Técnico: Marcelo Oliveira

Batedores de pênaltis:
Nacional:
Fernandéz (E), Polenta (C), González (C), Ramírez (E), Fucile (C) Barcia (C)
Palmeiras: Zé Roberto (C), Rafael Marques (C), Dudu (E), Allione (E) e Fernando Prass (C), Gabriel Jesus (E)