Thiago Ferri
28/06/2016
20:12
São Paulo (SP)

Barrios teve duas reuniões nesta terça-feira para resolver as diferenças após o atrito com Cuca. Primeiro, o jogador teve uma reunião a sós com o comandante do Palmeiras e, depois, um novo encontro com Cuca, Paulo Nobre e Alexandre Mattos. Para o clube, o caso é página virada.

Embora tenha recebido o aval da Crefisa para negociar o camisa 8, a intenção do Verdão agora é manter o atleta, que tem contrato até julho de 2018 e tem todos os seus gastos bancados (cerca de R$ 1 milhão por mês) pela patrocinadora. Até o momento, não há proposta pelo atacante paraguaio.

No início da terça, o centroavante respondeu às declarações do técnico, que justificou não usar o jogador por conta de uma proposta para sair. Barrios negou a versão, afirmou que sempre esteve comprometido e se surpreendeu com a entrevista do chefe. Cuca pouco depois recuou e disse que iria, inclusive, relacioná-lo para a partida contra o Figueirense, na quinta-feira.

Depois das duas reuniões, a expectativa no Palmeiras é de que a polêmica se encerre. O jogador, porém, terá dificuldades para ser titular, pois não tem as características que mais agradam a Cuca. Ainda assim, sua permanência ganhou força por conta dos recentes desfalques no setor.

Cristaldo está sendo vendido para o Cruz Azul (MEX) e Alecsandro foi suspenso por 30 dias após ser pego no antidoping - o gancho pode aumentar. Leandro Pereira será emprestado por um ano, mas sua chegada ainda não está definida. O atacante já realizou exames médicos.

Barrios, embora não tenha aumentado a polêmica, deixou aberto seu futuro. Ao SporTV, ele disse que não tinha sido procurado por nenhum clube, mas que isto agora deveria acontecer, diante da posição de Cuca. O comandante, por sua vez, fala que conta com ele e não o emprestará. Nesta tarde, o camisa 8 trabalhou no campo. Ou seja, Barrios fica. Ao menos por enquanto.