Cadeiras de rodas de última geração chegam ao Brasil para impulsionar o futebol adaptado

Equipe do Rio de Janeiro Power Soccer (Foto: Katarina Almeida)

RADAR/LANCE!
07/07/2016
21:26
Rio de Janeiro (RJ)

Os paratletas do Rio de Janeiro Power Soccer (RJPS), time carioca de futebol em cadeiras de rodas motorizadas, vão ganhar um reforço na preparação para o Campeonato Brasileiro e Taça Libertadores, que acontecerá em Buenos Aires. Nesta sexta-feira, o time receberá quatro novas cadeiras de rodas motorizadas de última geração, todas importadas, que ajudarão muito a mudar o cenário competitivo da modalidade no país. O evento de entrega do equipamento, que acontecerá às 11h, no Centro Cultural Light, no Centro do Rio, contará com a presença do tetracampeão mundial Bebeto, padrinho do time.

- É um prazer ser padrinho desse projeto desde o início. O esporte mudou a minha vida e esses atletas são guerreiros, são exemplos de superação. Tenho certeza de que, com estas novas cadeiras, o time poderá se preparar melhor e potencializar as chances de seus atletas participarem da Copa do Mundo, que acontecerá nos EUA, em 2017 - acredita Bebeto.

As cadeiras foram adquiridas por meio do patrocínio da Light e da Assim Saúde.

- A compra de cadeiras de rodas motorizadas é um dos maiores desafios, pois são equipamentos caros e importados. Por isso, este é um grande momento não só para o RJPS, mas para o esporte nacional que a partir de agora pode competir de igual para igual com as melhores equipes internacionais, e isso só foi possível com a parceria dos patrocinadores - comemora Mônica Dutra, diretora do RJPS.

Criado em 2014, o RJPS é o maior time do Brasil, tendo quatro atletas pré-convocados para a Seleção Brasileira de Power Soccer. Já no primeiro ano de sua formação, a equipe foi Campeã Brasileira e, em 2015, conquistou o título de vice-campeã. Para 2016, o RJPS já está classificado para disputar, pela segunda vez, a Taça Libertadores, em Buenos Aires.

Atualmente, a modalidade é praticada em quase 30 países e já é reconhecida pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC). A expectativa é que, em breve, o esporte se torne uma modalidade paralímpica.