Ana Cláudia Lemos (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

Ana Cláudia Lemos testou positivo em um exame antidoping (Foto: Wagner Carmo/CBAt)

Jonas Moura
10/03/2016
11:11
Rio de Janeiro (RJ)

Atualizado às 14:37

Recordista brasileira dos 200m, a velocista Ana Cláudia Lemos foi flagrada em um exame antidoping realizado pela Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD). A substância ilegal é a oxandrolona, um esteroide. Ela já solicitou a análise da amostra B (contraprova).

A atleta viajou nesta manhã de São Paulo para o Rio de Janeiro com o objetivo de se planejar a sua defesa com o Comitê Olímpico do Brasil (COB). 

No dia 11 de novembro do ano passado, Ana Cláudia havia manifestado posições fortes a respeito de casos de dopagem no atletismo. Na época, a modalidade estava sob os holofotes, após uma série escândalos envolvendo a delegação russa.

- Doping não é bom para o esporte. Posso falar por mim. Cada um tem de agir da maneira limpa. Espero que aconteçam punições, que tudo se esclareça. Meu clube (BM&F BOVESPA) e a CBAt mandam uma lista todo ano para nós. Se há alguma substância que foi colocada, eles avisam. Todo remédio que preciso tomar pergunto ao médico. Não bebo água de ninguém, não como a comida de outras pessoas. São cuidados básicos que temos de ter. Somos responsáveis por tudo o que entra no organismo - declarou a atleta na ocasião, durante evento da Nike, uma de suas patrocinadoras.

Presidente do COB e do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio-2016, Carlos Arthur Nuzman comentou o caso da atleta após o evento de inauguração do Estádio Aquático de Deodoro para o pentatlo moderno da Rio-2016, na manhã desta quinta-feira, no Rio de Janeiro.

- Vou dizer o que o que eu sempre digo sobre qualquer um. Fico triste de ver que um atleta é pego no antidoping. Essa sempre foi a minha frase em todos os Jogos. Se tem direito a contraprova aí é um problema que ela tem que arrumar um advogado para ver - disse Nuzman.

A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) ainda não se pronunciou sobre Ana Cláudia, que é detentora do recorde brasileiro dos 200m (22s48, também é recorde sul-americano).

A entidade apenas enviou uma nota oficial, assinada pelo presidente José Antônio Martins Fernandes. O texto ressalta que a comunicação de qualquer resultado adverso é feita diretamente pela ABCD e, somente depois de todas estas providências, a CBAt é comunicada.