icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
icons.title signature.placeholder Carlos Antunes
31/08/2015
16:23

Com três vitórias seguidas, Demian Maia quer voltar a se colocar entre os postulantes ao cinturão dos meio-médios. Para isso, o faixa-preta de jiu-jitsu já mira no seu próximo compromisso encarar um atleta melhor ranqueado do que ele. No entanto, em conversa com os jornalistas, lutador lamentou o fato dos principais nomes da divisão estarem com lutas marcadas, mas "escolheu" alguns nomes específicos.

- Os lutadores do TOP 5 estão com lutas marcadas, mas o (Robbie) Lawler se machucou agora e o Condit está livre. Minha ideia é agora encarar quem está na minha frente no ranking. Lutas que gostaria agora, se pudesse escolher, seria o Condit e Saffiedine. Acredito que em novembro ou dezembro esteja pronto para lutar novamente - afirmou o lutador, que também não descartou substituir algum competidor lesionado.

- Não gosto de falar essa questão, mas nesse esporte todos estão sujeito a lesões, então o Ultimate pode precisar de atletas para substituirem os lesionados. Com o Lawler aconteceu agora. Então temos que esperar para definir o que vai acontecer - completou.

Apesar de demonstrar sua vontade de atuar, o atleta tupinquim ainda não sabe quando estará apto para entrar no octógono, isso porque contraiu um infecção na perna esquerda e até o momento só tem feito treinos leves e na parte em pé. Segundo Demian, sua meta é poder lutar no fim do ano e não escondeu o desejo de ser escalado no card do UFC 194, no dia 12 de dezembro e que terá o brasileiro José Aldo contra o irlandês Conor McGregor como luta principal.

- Acho que o card mais legal (para lutar) até o momento é o do Aldo, quem tem Aldo x McGregor (pela unificação dos títulos dos penas), Weidman x Rockhold (pelo cinturão dos médios). Esse talvez seja o maior card deste ano. Tem grandes chances de ser o maior - completou o paulista.

Com três vitórias seguidas, Demian Maia quer voltar a se colocar entre os postulantes ao cinturão dos meio-médios. Para isso, o faixa-preta de jiu-jitsu já mira no seu próximo compromisso encarar um atleta melhor ranqueado do que ele. No entanto, em conversa com os jornalistas, lutador lamentou o fato dos principais nomes da divisão estarem com lutas marcadas, mas "escolheu" alguns nomes específicos.

- Os lutadores do TOP 5 estão com lutas marcadas, mas o (Robbie) Lawler se machucou agora e o Condit está livre. Minha ideia é agora encarar quem está na minha frente no ranking. Lutas que gostaria agora, se pudesse escolher, seria o Condit e Saffiedine. Acredito que em novembro ou dezembro esteja pronto para lutar novamente - afirmou o lutador, que também não descartou substituir algum competidor lesionado.

- Não gosto de falar essa questão, mas nesse esporte todos estão sujeito a lesões, então o Ultimate pode precisar de atletas para substituirem os lesionados. Com o Lawler aconteceu agora. Então temos que esperar para definir o que vai acontecer - completou.

Apesar de demonstrar sua vontade de atuar, o atleta tupinquim ainda não sabe quando estará apto para entrar no octógono, isso porque contraiu um infecção na perna esquerda e até o momento só tem feito treinos leves e na parte em pé. Segundo Demian, sua meta é poder lutar no fim do ano e não escondeu o desejo de ser escalado no card do UFC 194, no dia 12 de dezembro e que terá o brasileiro José Aldo contra o irlandês Conor McGregor como luta principal.

- Acho que o card mais legal (para lutar) até o momento é o do Aldo, quem tem Aldo x McGregor (pela unificação dos títulos dos penas), Weidman x Rockhold (pelo cinturão dos médios). Esse talvez seja o maior card deste ano. Tem grandes chances de ser o maior - completou o paulista.