Branco marca de falta contra a Holanda (Foto: Reprodução)

Branco marca de falta contra a Holanda (Foto: Reprodução)

Roberto Assaf
12/07/2016
22:56
São Paulo (SP)

Cláudio Ibrahim Vaz Leal, o Branco, tinha 30 anos de idade na Copa de 1994. Era reserva de Leonardo. Mas o lateral titular foi suspenso pela Fifa, após a cotovelada violenta que acertou o rosto de Tab Ramos, na vitória de 1 a 0 sobre os Estados Unidos. E acabou entrando na partida contra a Holanda, em Dallas, pelas quartas de final. O técnico Carlos Alberto Parreira sofreu muitas críticas. Cronistas e torcedores afirmavam que o craque era lento e não poderia conter o veloz ponteiro laranja Overmars.

Mas as previsões efetivamente falharam. Graças à sua categoria, Branco deixou o atacante holandês travado, e ainda encontrou espaço para apoiar. O primeiro tempo acabou 0 a 0. Aos oito minutos da etapa final, Aldair lançou Bebeto, que cruzou da esquerda para Romário abrir o placar. Aos 18, De Goeij deu um chutão. Branco rebateu de cabeça na direção de Romário. O atacante estava em posição irregular e deixou a bola chegar até Bebeto, que driblou o goleiro e fez 2 a 0. E comemorou com o “nana-neném”, que fez escola, em homenagem ao nascimento do filho Matheus.

Nas raras bobeadas que teve na Copa, a zaga permitiu que a Holanda empatasse, gols de Bergkamp e Winter, entre os 18 e os 30 minutos. Parreira, diante da situação, imediatamente trocou Mazinho por Raí. Segundos depois, Branco iniciou ataque pelo setor esquerdo, e cavou uma falta, em disputa com Jonk. O próprio lateral se preparou para cobrar. Os céticos, mais uma vez, duvidaram da sua capacidade.

Mas o efeito foi tão sinuoso que a pancada superou não só a barreira de seis homens, como o gigante – 1,98 – De Goeij. A bola bateu no pé da trave esquerda e entrou. No replay, foi possível notar que Romário fez um breve corta-luz, encolhendo as costas, o que acabou confundindo o goleiro. Aos 44 minutos, Branco foi substituído por Cafu, passando Jorginho para a lateral-esquerda. “Foi o gol cala-boca”, desabafou o craque do Fluminense, que continuou no time contra a Suécia e a Itália, até a conquista do tetra mundial.



BRASIL 3 x 2 HOLANDA

Data: Sábado, 9 de julho de 1994.

Competição: Copa do Mundo de 1994 / Quartas de final.

Local: Estádio Cotton Bowl, em Dallas-Texas / Estados Unidos.

Público: 63.500 espectadores.

Arbitragem: Rodrigo Badilla / Costa Rica, Mohammad Fanaei / Irã e Yousif Abdulla Al-Ghattan / Bahrein.

Gols: Romário 53, Bebeto 63’, Dennis Bergkamp 64’, Aaron Winter 76’ e Branco 81’.

BRASIL: Taffarel, Jorginho, Márcio Santos, Aldair e Branco (Cafu 89’); Mauro Silva, Dunga, Mazinho (Raí 81’) e Zinho; Bebeto e Romário. Técnico: Carlos Alberto Gomes Parreira.

HOLANDA: Ed de Goeij, Stan Valcx, Ronald Koeman e Rob Witschge; Frank Rijkaard (Ronald de Boer 65’), Jan Wouters, Willem Jonk, Peter van Vossen e Aaron Winter; Marc Overmars e Dennis Bergkamp. Técnico: Dick Advocaat.