Drone no Beira-Rio

Drone apareceu no Beira-Rio quando o jogo estava empatado em 0 a 0 (Foto: Reprodução / TV Globo)

RADAR/LANCE!
28/11/2016
12:52
Porto Alegre (RS)

Após a grande repercussão do caso drone, ocorrido no último domingo no Beira-Rio, a Polícia Civil divulgou que tem uma identificação preliminar de dois suspeitos pelo ataque à residência confundida como base do objeto. Outras 15 pessoas podem estar envolvidas na depredação.

Segundo informações da "Rádio Gaúcha", o delegado Tiago Baldin, da 20ª Delegacia de Polícia, vai recorrer a câmeras de segurança e ao banco de dados de torcidas organizadas do Internacional, visando saber se os envolvidos são vinculados a alguma uniformizada. 

A delegacia ainda não sabe se a apuração será apenas pelo dano ao patrimônio ou por algum crime contra vida, uma vez que os criminosos jogaram pedras e paus em direção à casa e ao carro de Cássio Moura, esposa e filha (de apenas dez meses), que são colorados. 

- Tudo interessa nesta investigação. Essas pessoas responsáveis pelo drone podem estar correndo perigo, pois há informações que o grupo (que depredou a casa) pode voltar a agir - afirma o delegado Baldin.

Fantasiado de fantasma do rebaixamento e com "B" em vermelho, o drone apareceu no Beira-Rio quando o jogo entre Internacional e Cruzeiro estava empatado em 0 a 0, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. No fim, os Colorados saíram com o triunfo, após um golaço marcado por Valdivia. 

REAÇÃO DO INTER

Vice-presidente jurídico do Inter, Giovani Gazen deixou claro que o clube gaúcho não irá indenizar o torcedor colorado Cássio. 

- O Inter não tem qualquer ingerência sobre isso. Lamentamos muito o ocorrido, estamos realmente chateados, ainda mais por ter sido um colorado, mas o clube não tem responsabilidade direta nem indireta sobre este evento. Isso é caso de polícia - completou.