Alexandre de Moraes, secretário de segurança pública do Estado de São Paulo

Secretário de segurança pública engrossou o tom com as organizadas (Foto: Divulgação/Secretaria de Segurança)

RADAR/LANCE!
15/04/2016
15:08
São Paulo (SP)

A Polícia Civil de São Paulo começou uma grande operação na manhã desta sexta-feira para prender torcedores de organizadas suspeitos de envolvimentos em brigas e agressões. Em coletiva de imprensa, Alexandre de Moraes, secretário de segurança pública do Estado de São Paulo, deu um ultimato aos membros dessas torcidas caso eles não cooperem com as autoridades para acabar com a violência nos estádios.

- Ou as organizadas escolhem o lado da lei e da ordem e nos auxiliam, de verdade, a expulsar os torcedores criminosos e prendê-los com provas, ou elas vão optar por estar ao lado dos criminosos e vão acabar – disse o secretário.

Além de prender torcedores, a operação “Cartão Vermelho” teve outros desdobramentos. Um deles foi a interdição da sede de uma torcida do Corinthians por falta de segurança.

- A operação contou com o apoio do corpo de bombeiros, que está realizando vistoria de segurança nas torcidas. Uma delas, a Pavilhão 9, por falta total de segurança, já está sendo lacrada e emparedada pela prefeitura municipal, a nosso pedido - declarou Moraes, revelando que o mesmo deve ocorrer com a Gaviões da Fiel.

Segundo o Secretário, 69 mandados foram emitidos, sendo 32 de busca e apreensão e 37 de prisão, com 26 pessoas já detidas. A “Cartão Vermelho” operou em sete cidades de São Paulo e em Uberaba (MG), e segue em andamento.

Alexandre de Moraes contou que a ação apreendeu celulares e que já foram encontradas conversas que mostram o envolvimento de alguns membros nas brigas de corintianos e palmeirenses no clássico no dia 3 de abril.