Pres. Dilma Rousself

Pres. Dilma Rousself em reunião do Profut. Foto de Roberto Stuckert Filho

Fábio Suzuki e Igor Siqueira
01/12/2015
07:15
São Paulo (SP)

O prazo oficial para os clubes parcelarem suas dívidas com a União terminou ontem com a adesão de cerca de 50 entidades desportivas, sendo 13 delas da Série A do Campeonato Brasileiro. Segundo o Ministério do Esporte, o número "correspondeu às expectativas", mas uma solicitação foi feita para que um novo prazo seja aberto visando principalmente os clubes de menor investimento.

Em reunião na tarde de ontem, em Brasília, representantes da pasta encaminharam um pedido de prorrogação do prazo que será analisado pela Fazenda e Casa Civil. Caso a solicitação seja aceita, o governo lançará uma Medida Provisória (MP) com as diretrizes do novo prazo de adesão. A iniciativa, entretanto, não tem data para ocorrer.

"A adesão de cerca de 70% dos principais clubes já atendeu os objetivos do governo", Rogério Hamam, do Ministério do Esporte.

— A proposta do Ministério é de atender os clubes de menor porte e agora vamos aguardar uma resposta. Mas a adesão de cerca de 70% dos principais clubes já atendeu os objetivos do governo – comentou Rogério Hamam, secretário nacional de futebol do Ministério do Esporte.

Na avaliação da pasta, os clubes menores não tiveram as mesmas condições dos grandes times de avaliar os benefícios do Profut. Isso por causa das limitações nas áreas jurídicas e contábeis e na adequação do estatuto para entrar no programa. A prorrogação é defendida também por dirigentes de clubes e entidades, e deputados da "bancada da bola".