Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro (Foto: Divulgação)

 Gilvan de Pinho Tavares espera que CBF autorize Primeira Liga neste ano como torneio amistoso (Foto: Divulgação)

LANCE!/RADAR
17/01/2016
16:40
Belo Horizonte (MG)

As declarações de Walter Feldman, secretário-geral da CBF, sobre a impossibilidade de a Primeira Liga acontecer neste ano como torneio amistoso causou surpresa entre os presidentes dos clubes que integram a Liga. Após um dia de silêncio, Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro e da Liga, bancou, neste domingo, a competição a partir do dia 27 deste mês "com ou sem consentimento da CBF". CBF que, segundo o mandatário não está em condições de fazer exigências.

– O torneio vai ser jogado, com ou sem o consentimento da CBF. Esperamos que a entidade honre o acordo feito e também tenha posição mais positiva para a moralização do futebol brasileiro. A CBF não está em condições de exigir nada. Se estivesse, não teria um ex-presidente preso (José Maria Marin) e o atual (Marco Polo Del Nero, que está licenciado) sem poder sair do Brasil – destacou Gilvan, em entrevista coletiva na Toca da Raposa II.

Gilvan voltou a lamentar a mudança de parte da CBF antes de destacar que Atlético-MG, Corinthians, Fluminense e Internacional estão disputando um torneio amistoso nos Estados Unidos, a Florida Cup.

– Agora, quem está colocando as mangas de fora na CBF é o Walter Feldman, com quem me reuni algumas vezes. Ele havia confirmado que seria um torneio amistoso, mas depois passou a dizer que não poderia permitir os jogos, com medo de repercussão na Fifa. Ora, se há clubes brasileiros disputando torneio na Florida, porque não podemos disputar um aqui?

O presidente do Cruzeiro ainda lembrou da última reunião que teve com Marco Polo Del Nero, que havia reassumido a presidência da CBF antes de pedir nova licença. Ele quer a manutenção do acordo firmado.

– Del Nero me convidou para almoçar a conversa teve outros presidentes de clubes, como Flamengo (Eduardo Bandeira de Mello) e Fluminense (Peter Siemsen). Combinamos que podia ser um torneio amistoso. Está tudo acertado, tudo combinado, outros patrocinadores da Liga acertados, mais de seis meses de debate. Fizemos acordo à moda antiga, com aperto de mão. O Marco Polo Del Nero combinou e no dia seguinte ele saiu. Vou defender a posição de ser um torneio amistoso.

Um dia antes das declarações de Walter Feldman, houve reunião com representantes dos clubes da Primeira Liga para que diversas pendências fossem resolvidas. Houve, por exemplo, a adequação da tabela, já que Atlético-MG e Grêmio terão compromissos pela Libertadores paralelamente ao torneio. Na próxima terça, em hotel na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, haverá novo encontro, segundo Romildo Bolzan, presidente do Grêmio e outro surpreendido pela nova posição da CBF.

– Essas declarações foram surpreendentes pela forma como a situação vinha sendo conversada. Espero que seja honrado o que vinha sendo prometido – destacou Bolzan, ao LANCE!, antes de falar sobre o próximo encontro, que deverá ser o último antes do início do torneio.

– Espero que tudo seja equacionado na terça. Não vejo outro cenário.

A tabela da Primeira Liga prevê quatro partidas para 27 de janeiro, dia do início da competição. Serão nove dias diferentes com jogos pela primeira fase. As semifinais ocorrerão nos dias 23 e 24 de março. Já a decisão acontecerá no dia 31 do mesmo mês.