Bonucci - Juventus x Inter

Bonucci foi um leão na defesa da Juventus e foi dele (na decisão por pênaltis) a  cobrança que classificou a Juventus para a final  da Copa da Itália contra o Milan  (Foto: Marco Bertorello / AFP)

RADAR/LANCE!
02/03/2016
19:43
Milão (ITA)

Quase que o improvável aconteceu na tarde desta quarta-feira, em Milão, nas semifinais da Copa da Itália. A Internazionale precisava vencer por pelo menos 3 a 0 a Juventus para levar o jogo para a prorrogação (a Juve fizera 3 a 0 na ida) e ela  conseguiu o 3 a 0 nos 90 minutos. Porém, depois de empate sem gol no tempo extra,  a Juventus levou a melhor nos pênaltis por 5 a 4.

Assim, a Juve - que entrou em campo com oito reservas - fará a final contra o Milan, que se qualificou ao eliminar o Alessandria nesta terça-feira.

O jogo, realizado com o gramado pesado e durante boa parte sob chuva e frio de 10 graus, foi tenso, com a distribuição de 11 amarelos. Brozovic marcou dois gols para a Inter, o último de pênalti aos 36 minutos do segundo tempo. O outro foi de Perisic.

Nas cobranças de pênaltis, Brozovic, Manaj e Nagatomo marcaram para a Inter. Palacio perdeu a sua cobrança chutando no travessão. Para a Juventus os cinco cobradores foram impecáveis: Barzagli, Zaza, Morata, Pogba e o capitão Bonucci.

A Inter caiu de cabeça erguida. Conseguiu devolver o placar no tempo normal mostrando muita raça e ofensividade. Para ilustrar isso, nos 90 minutos, o time da casa teve 71% da posse de bola e chutou 13 bolas, seis em direção ao gol.  A Juventus teve três finalizações. A Internazionale só foi infeliz na cobrança de Palacio, o único a errar o seu pênalti.


O JOGO

A grande vantagem que construiu em casa fez o treinador juventino Massimiliano Allegri escalar quase uma equipe de reservas, com apenas três titulares, todos do sistema defensivo (Lichtsteiner, Bonucci e Cuadrado).

Diante deste quadro e precisando devolver a goleada, a Internazionale foi para cima desde os primeiros minutos e abriu o placar aos 16 num lance que contou com falha brazuca. Após uma bola atrasada, o goleiro Neto entregou no fogo para Hernanes na entrada da área. O meia não percebeu a chegada do chileno Medel, que entrou com tudo, roubando a bola e tocando para Brozovic, já na área. Ele ajeitou e bateu de direita no canto esquerdo de Neto.

Em vantagem, a Inter passou a pressionar muito mais, chegando com perigo em várias oportunidades e quase ampliando aos 25 minutos: após passe errado do Juventino Rugani , a bola terminou nos pés de Ljajic, pela esquerda, que mandou no travessão de Neto. 

Com quatro minutos do segundo tempo, Eder invadiu pela direita e cruzou para Perisic fazer 2 a 0 no placar. Com isso, a Inter ficou por um gol para, pelo menos, levar aos pênaltis. A Juve - que quase diminuiu num chute de Zaza na trave de Carrizo, logo tratou de se fechar com o treinador tirando o lateral Lichtsteiner para a entrada de mais um zagueiro, Barzagli. 

Isso fez a Juve fechar um pouco mais os espaços, mas a Inter seguiu bem perigosa. Aos 32, quase fez o terceiro. Numa bola levantada, o zagueiro D'Ambrosio, na entrada da pequena área, cabeceou por cima. Só que aos 36 minutos, Perisic recebeu um lançamento na ponta esquerda, invadiu a área pela linha de fundo e foi derrubado por Rugani. Brozovic cobrou o pênalti e  colocou 3 a 0 no placar, resultado que levava o jogo para a prorrogação.

A Juventus não se encontrava e nem mesmo a entrada de Pogba arrumou a casa da Velha Senhora, que deu muita sorte aos 44 minutos. Numa falha da marcação, Perisic ficou livre dentro da área e chutou para excepcional defesa de Neto, que evitou a eliminação no tempo normal.

A prorrogação foi emocionante, pois apenas o 0 a 0 levaria aos pênaltis (empate com gols serviria para a Juventus, pois seria um gol fora).

A primeira chance foi da Inter, aos cinco minutos. Perisic cabeceou para nova ótima defesa do goleiro ex-Atlético Paranaense. Mas a Juventus foi superior na neste tempo-extra e assustou bem mais, pois o time de Milão passou a errar muitos passes.  Foram três as chances da Juve: aos dez minutos, Cuadrado deu um chutão e o isolado atacante Zaza ganhou na dividida e chutou raspando a trave; dois minutos depois, Zaza teve outra ótima chance, mas chutou para fora; no início do segundo tempo, Pogba quase marcou num chute de voleio. E no fim, numa blitz quase definiu a partida no último ataque (Carizzo salvou). Nos pênaltis, apenas o argentino Palacio errou. Pior para a Inter. Juventus na final.