5. San Siro (Milão)

San Siro receberá uma final de Liga dos Campeões pela quarta vez (Foto: Divulgação)

Lazlo Dalfovo
27/05/2016
17:10
Milão (ITA)

Um estádio, dois nomes e incontáveis histórias marcantes. O San Siro, ou Giuseppe Meazza, se preferir, é o templo do futebol em Milão. E, neste sábado, mais um marcante capítulo da história do futebol será escrito neste palco, já que os rivais de Madri, Real e Atlético, se enfrentam pela final da Liga dos Campeões. 

Mas esta não será a primeira que o local recebe uma decisão da principal competição de clubes do mundo. Com capacidade para 80 mil pessoas e inaugurado em 1925, o San Siro já recebeu a finalíssima em outras três ocasiões.

Final da Champions de 1964/65
Jair da Costa marcou o único gol da final de 1964/65 (Foto: AFP)

A primeira aconteceu na temporada 1964/65, quando Inter de Milão e Benfica se enfrentaram no torneio que era chamado de Taça dos Campeões Europeus. Na ocasião, os donos da casa souberam explorar melhor as péssimas condições do gramado, que estava enlameado, e levaram a melhor sobre a equipe portuguesa, liderada pelo craque Eusébio. Neste ano, a Inter conquistou o bicampeonato europeu após vencer o jogo por 1 a 0, com um gol marcado pelo brasileiro Jair da Costa, ex-Portuguesa e Santos.

Temporada 1969/70 

Feyenoord - Liga dos Campeões 1970
Em 70, Feyenoord conquistou seu primeiro e único título da competição (Foto: Reprodução / Internet)

Quando a competição ainda atendia pelo nome de Taça dos Campeões Europeus, o Feyenoord, a partir de 1969/70, deu início a uma supremacia holandesa na Europa que durou quatro temporadas (o Ajax conquistou os três campeonatos posteriores). Diante do Celtic, o clube de Roterdã triunfou na prorrogação. O placar terminou em 2 a 1.

Temporada 2000/01 

Bayern - Liga dos Campeões 2001
2000/01: Bayern tinha Kahn no elenco (Foto: Gabriel Bouys / AFP)

Esta edição ficou marcada pela quebra de um longo jejum do Bayern de Munique sem conquistar a competição continental. Contra um Valencia que tinha jogadores de qualidade, como Mendieta, Aimar e Juan Sánchez, os bávaros, que tinham a lenda Oliver Kahn, se tornaram campeões pela quarta vez após 25 anos de espera. A final teve que ser decidida nos pênaltis (5 a 4 para o Bayern), depois de um empate em 1 a 1 no tempo regulamentar. Uma curiosidade: três brasileiros estiveram em campo neste jogo (Élber, Paulo Sérgio, pelo lado dos alemães, e Fábio Aurélio, pelo lado dos espanhóis).