Bolivia x Equador

O lateral-esquerdo Bejarano (17) erra o tempo da bola e acaba sendo desmarcado pelos equatorianos (Foto:AFP)

RADAR/LANCE!
11/10/2016
19:10
La Paz (BOL)


O Equador foi até La Paz e, após  sair para o intervalo derrotado por  2 a 0 pela Bolívia (golaços de Pablo Escobar), teve notável reação na etapa final. Diminuiu com Enner Valencia logo aos dois minutos e, aos 43, quando estava com um a menos, festejou mais um gol de Enner Valencia, fechando o placar em 2 a 2.

Enner acabou como o protagonista mais uma vez. Melhor em campo na vitória por 3 a 0 sobre o  Chile, ele virou personagem por sua saída inusitada daquele jogo, quando "passou mal" e foi internado num hospital apenas para não ser preso por não pagar pensão à ex-mulher.  Ele seguiu "hospitalizado" até arrumar seus problemas jurídicos, com isso conseguiu ir para La Paz, foi escalado e mais uma vez foi decisivo para a sua seleção.

A vitória leva o Equador aos 17 pontos, permanecendo no G5. A Bolívia foi para oito pontos, está em penúltimo e as suas chances de conseguir ir à Rússia-2018  são mínimas.

O empate fez o Equador manter uma escrita. Neste século, a seleção ainda não perdeu em La paz nas Eliminatórias (três vitórias e dois empates). Das seleções sul-americanas, é a maior asa negra da Bolívia em seus domínios. 
 
O JOGO

A Bolívia mandou no primeiro tempo desde o primeiro minuto, quando Veizaga  - voltando após suspensão - chutou e obrigou o goleiro Dreer a fazer uma defesa espetacular. Com o Equador ainda sonolento, a Bolívia voltou ao ataque e saiu na frente em grande estilo, quando Pablo Escobar recebeu e, de fora da área, mandou uma bomba de canhota. Golaço.

Tirando uma jogada de Enner Valencia que Bejarano evitou o perigo, o Equador não assustava e não era sombra do time que dera um nó no Chile em Quito, vencendo os bicampeões da América do Sul por 3 a 0 há menos uma semana. Já a Bolívia parecia ter assimilado bem a surra de 5 a 0 que levou do Brasil em Natal e jogou com muita tranquilidade, chegando ao segundo gol aos 42 quando Marcelo Moreno tocou para Pablo Escobar tirar a marcação e chutar sem chance para Dreer.

No segundo tempo o Equador mostrou suas armas aos dois minutos. Antonio Valencia cruzou e Enner Valencia bateu com categoria com a perna direita e diminuiu o placar.

O Equador voltou para o jogo e o duelo pegou fogo entre os 20 e 30 minutos, com muitas chances para ambas as seleções.  Enner Valencia teve três chances para virar em cabeçadas. Nas duas primeiras, obrigou o goleiro Lampe a boas intervenções. A terceira, a melhor, foi para fora. Era gol feito.  A Bolívia lamentou as chances com Arce e Marcelo Moreno. Nas duas vezes o goleiro Dreer apareceu para salvar.

Após ficar com um a menos - o zagueiro Caicedo foi expulso -  o Equador manteve o ímpeto, enquanto a Bolívia, mesmo com um a mais, recuou, com substituições defensivas.   E aos 43 a vontade equatoriana fou recompensada. Antonio Valencia recebeu e cruzou. Fidel Martínez não chegou, mas Enner Valencia, sim. O atacante bateu e mandou para a rede, 2 a 2 e um empate com sabor de goleada.   
A lamentar, apenas o amarelo que Enner Valencia levou no fim. Foi o seu segundo e desfalcará a seleção na partida da prõxima rodada contra o Uruguai.

FICHA TÉCNICA
BOLÍVIA 2 X 2 EQUADOR
ELIMINATÓRIAS SUL-AMERICANAS - 10ª RODADA
DATA E HORÁRIO
: 11/10/2016 - 17h (de Brasília)
ÁRBITRO:  Mario Díaz de Vivar (PAR)
LOCAL:  Estádio Hernando Siles, La Paz (BOL)
AUXILIARES: Juan Zorrilla e Milcíades Saldivar (PAR)
CARTÕES AMARELOS:  Ramallo, Jorge Flores, Marcelo Moreno, Saavedra (BOL), Mina, Luis Caicedo, Enner Valencia, Cristian Ramírez (EQU)
CARTÃO VERMELHO: Luis Caicedo (EQU), aos 33'/2ºT;

GOLS: Pablo Escobar, 3'/1ºT (1-0), Pablo Escobar, 42'/1ºT (2-0), Enner Valencia, 2'2ºT (2-1), Enner Valencia, 42'/2ºT (2-2). 

BOLÍVIA: Lampe; Saavedra, Zenteno, Raldes e Bejarano (Jorge Flores, 6'/2ºT); Veizaga, Walter Flores, Pablo Escobar (E. Rodríguez, 39'/2ºT) e Arce;  Marcelo Moreno e Ramallo (Duk, 16'/2ºT). TEC: Guillermo Hoyos.

EQUADOR: Dreer; Paredes (Mena, 26'/2ºT), Mina, Caicedo e Cristián Ramírez; Orejuela (Oyola, 32'/2ºT), Noboa (Achilier, 35'/2ºT), Antonio Valencia e Fidel Martínez; Ibarra e Enner Valencia. TEC: Gustavo Quinteros.