Fluminense x Cruzeiro

Torcida do Flu compareceu em peso no estádio Giulite Coutinho, em Mesquita (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)

LANCE!
19/07/2016
07:05
Rio de Janeiro (RJ)

A vitória por 2 a 0 contra o Cruzeiro deixou o clima no Fluminense tranquilo e favorável. Mais do que isso. O Giulite Coutinho, nova casa do Tricolor na temporada, foi exaltada por jogadores e comissão técnica. A torcida compareceu ao estádio, que é localizado em Mesquita, na Baixada Fluminense, mais próximo da cidade do Rio, e deu um ânimo ao time tricolor. Segundo o lateral-direito Jonathan, o estádio pode ser um divisor de águas para o Fluminense no Brasileiro e a equipe pode começar a embalar.

– Não só o jogo, mas o local (que pode ser um divisor de águas). A torcida compareceu. O estádio foi fundamental para a gente e principalmente para o torcedor. Já era hora de isso ter acontecido, nós esperávamos muito ter o torcedor do nosso lado. Nada contra Volta Redonda, mas ali o torcedor do Fluminense não tinha como chegar até o estádio. Era muito longe aqui do Rio – afirmou o lateral, destacando que com o apoio da torcida fica mais fácil o time conseguir os resultados positivos.

– Então acho que ficou evidente que se o torcedor nos apoiar desde o início do jogo, a probabilidade de o Fluminense sair com a vitória é muito maior – completou o jogador.

Autor do segundo gol do Fluminense contra a Raposa, Marcos Junior foi outro que exaltou a importância do estádio e a presença dos torcedores para a equipe. Segundo o atacante, os quase 10 mil torcedores que foram ao local no domingo pareciam muito mais e o apoio deu uma motivação maior para a equipe. 

– Muito bom! A gente não tem o Maracanã, mas Edson Passos deu uma adrenalina muito forte. Eram quase 10 mil, mas pareciam 50 mil. E a cada vez que eu escutava a torcida dava mais vontade de correr.

Após o jogo, o técnico Levir Culpi elogiou muito o encontro entre torcida e time. Segundo ele, foi a primeira vez que a equipe teve vida e acredita que agora o time pode terminar entre os primeiros do Brasileirão.

– Ouvimos muito a torcida, foi um clima bacana. Não sei onde podemos chegar, mas acho que podemos ficar entre os primeiros – disse Levir.