Levir Culpi e Ricardo Gomes (foto:Cleber Mendes/LANCE!Press/Vitor Silva/SSPRESS)

Levir estreia no Carioca. Ricardo está invicto na competição (foto:Cleber Mendes/LANCE!Press/Vitor Silva/SSPRESS)

Felippe Rocha e Vinícius Britto
13/03/2016
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

O duelo entre Fluminense e Botafogo de logo mais não é o primeiro do ano entre as equipes. Porém, as características das equipes estão mais latentes. E essas tais características fazem do Estádio Raulino de Oliveira palco de um encontro de times que precisam das virtudes... do adversário. Ricardo Gomes remontou o Glorioso do ano passado para o atual. Levir Culpi tem pouco mais de uma semana de Tricolor. A partir de agora, os treinadores vão tentar dar um quê do rival aos seus respectivos comandados. O jogo começa às 18h30, e o site do LANCE! transmite em tempo real.

Acontece que a defesa liderada por Jefferson sofreu apenas três gols nos oito jogos disputados até agora no Campeonato Carioca. Do outro lado, Diego Cavalieri precisou buscar 15 bolas no fundo da rede, em 12 jogos na temporada. Problema defensivo que o recém-contratado treinador precisa consertar.

Porém, o que Levir já avisou que não vai abrir mão é de um time ofensivo. Em tese, não será tão difícil, visto que os 16 gols marcados pelo Fluminense, só no Estadual, em oito partidas, resultam em boa média. É algo como estes dois gols por jogo que o Botafogo procura. Com apenas 12, o ataque não deslanchou ainda na competição. O treinador alvinegro sabe que, pelo histórico do colega de profissão, o Tricolor deve continuar procurando sempre a baliza adversária. Mas prefere despistar sobre o que espera do Flu.

– Conheço o Levir pelos resultados, que são ótimos. Mas quem pode dizer melhor é quem acompanha o dia a dia – resume Ricardo.


Do lado das Laranjeiras, o treinador não esconde a expectativa pela evolução do novo time. A começar pelo encontro com Ricardo Gomes.

– Vejo com bons olhos. Vamos ter que tentar um matar o outro. É um clássico, bem bacana. Por si só, já movimenta tudo. O clima melhora. Acho interessante. Vamos ver quem terá condições de jogo e esperamos vencer – analisa Levir Culpi.

Porém, o que Levir não vai querer que se “movimente” é o ambiente de seu clube. O rebuliço recente tanto na equipe, quanto na comissão técnica e na diretoria parece ter passado. O desejado é o “céu de brigadeiro”, visto em General Severiano mesmo no período de desconfiança com as contratações feitas para o ano de 2016.

A estreia de um treinador no Estadual, o Botafogo que tenta manter a invencibilidade e um duelo de dois times que desejam virtudes do rivais. Ingredientes não faltam.

Passado como jogador e técnico nos rivais

O clássico em Volta Redonda, também será marcado pelo reencontro entre velhos conhecidos: Levir com o Botafogo e Ricardo Gomes com o Fluminense.

O primeiro comandou o Alvinegro na reconstrução do clube que culminou no acesso à Primeira Divisão em 2003. Foi vice-campeão da Série B em uma campanha que ficou marcada pelos jogos no Caio Martins e a superação do elenco em meio a crise financeira vivida pelo clube. Mas a história entre os dois é mais antiga ainda: Levir Culpi foi zagueiro do clube na década de 70. Chegou a jogar com ícones do clube, como Jairzinho, Marinho Chagas e Fischer.

A história de Ricardo Gomes no Fluminense vem desde o seu início no futebol. Revelado na base tricolor, foi tricampeão carioca e campeão brasileiro em 1984, atuando no comando da defesa mesmo ainda jovem. Fez 201 jogos pelo Fluminense é um dos ídolos do clube. Mais tarde, já como técnico, treinou o clube em 2004, após um início de carreira vitorioso na França. Mas não repetiu o sucesso que teve no clube em sua primeira passagem, como atleta.