Paulo Bento, em entrevista após o jogo do Cruzeiro

Scuro negou que Paulo Bento tenha se isolado (Foto: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

RADAR / LANCE!
26/07/2016
17:40
Belo Horizonte (MG)

A saída de Paulo Bento não passou em branco na primeira entrevista coletiva de Thiago Scuro após o Cruzeiro oficializar o acerto com Mano Menezes. Nesta terça-feira, na Toca da Raposa 2, o diretor de futebol rechaçou que houve um erro de planejamento ao tentar o técnico português:

- Preciso ter muita responsabilidade para responder isso. É uma pergunta séria, importante. Temos pouco mais de 24 horas de decisão de comunicar o Paulo. A partir disso, foi uma busca intensa pelo novo treinador. Para responder de forma objetiva, ainda não tenho opinião formada.

O dirigente disse que o desejo de um trabalho a longo prazo não pode ficar atrás do desempenho em campo:

- A mudança vem pelo fato de o Cruzeiro estar em 19º, com 15 pontos. A gente percebe no dia a dia um trabalho de segurança, consistente, mas com dificuldade de conseguir resultados, não posso colocar meu desejo em cima daquilo que o Cruzeiro precisa. Há um mês a torcida do Cruzeiro gritou nome do Paulo Bento no Mineirão. Agora vaiou. Então a torcida muda, vocês da imprensa mudam, a diretoria muda também.

O dirigente minimizou valores quanto à rescisão contratual de Paulo Bento, e disse que há uma tendência à imprensa dimensionar por ser um estrangeiro:

- A rescisão do contrato tem algumas precisões. Não tratamos de valores, mas o que eu posso dizer que não é nada muito diferente do que os clubes brasileiros estão habituados. Talvez se cria um peso maior pelo fato de ser estrangeiro. Ninguém trabalhava para rescindir o contrato, mas pelos fatores citados, entendemos por bem.

O diretor executivo descartou que haja uma frustração com o trabalho de Bento. O profissionalismo do português foi exaltado:
 
- A frustração talvez não seja esse termo. Tínhamos uma expectativa por melhores resultados. Mas no trabalho é um grande profissionalismo. O processo era organizado, profissional. Mas não é uma coisa do futebol brasileiro, é do mundo. Qualquer modalidade de alto rendimento, a perspectiva é de bons resultados, de conquistas. E um clube do tamanho do Cruzeiro, quando há a dificuldade de construir bons resultados, a pressão é grande. Lamentavelmente não deu esse resultado.

Scuro também tirou das costas de Paulo Bento o peso da demissão de Geraldo Delamore:

- A saída do Delamore ocorreu por outros fatores que não têm relação com Paulo Bento. Quintiliano, analistas de desempenho, Pimenta fisiologista, todos tiveram boa relação. Paulo Bento é educado, trabalhador e a gente deseja sucesso na carreira dele.

O dirigente também negou que Bento tenha agido como uma pessoa inacessível durante seu período no Cruzeiro:

- Acho que não tem influência desse aspecto nos resultados. Não procede isso de que ele era inacessível. Talvez seja um pouco mais pragmático pelo lugar de onde vem, mas todas as áreas participavam do processo. O fato de ele ter se fechado um pouquinho no que tange à decisão de usar as próprias convicções pode incomodar um pouco algumas pessoas, mas não é determinante.