Tite, do Corinthians

Treinador deve ganhar novas dúvidas na montagem da equipe titular do Timão (Foto: Agência Corinthians)

Gabriel Carneiro
21/03/2016
08:00
São Paulo (SP)

O resultado mais elástico e expressivo do Corinthians em 2016 foi o 4 a 0 diante do Linense, sábado, na Arena. Naquela partida, Tite usou apenas três titulares habituais e mostrou que seus reservas também têm condições de suprir ausências e até brigar por espaço. Giovanni Augusto, Guilherme e André, que começaram o ano fora da equipe, são os maiores exemplos de que o banco de hoje pode ser a peça fundamental de amanhã.

E para estimular ainda mais essa concorrência, o treinador criou uma brincadeira: uma espécie de sistema de pontos, uma “caderneta” em que cada boa atuação é premiada com “créditos”.

– A equipe está aprendendo a trabalhar com essas pressões, com o peso da camisa do Corinthians. A gente vai colocando todo o grupo e oportunizando. Eu tenho uma cadernetinha de poupança e cada atleta que faz uma boa atuação eu sinalizo. Daqui a pouco eu não escolho porque um está bem e outro está mal – disse Tite, que já usou a receita em outros jogos passados.

Contra o Cerro Porteño (PAR), por exemplo, Tite não pôde contar com o suspenso Rodriguinho e acionou o garoto Maycon, de 18 anos, na vaga. Segundo o comandante, Maycon “se escalou” por conta da boa atuação contra o Botafogo-SP, no fim de semana anterior. Nos próximos jogos, portanto, novas peças devem receber oportunidade, como os paraguaios Balbuena e Romero, protagonistas nos 4 a 0. Enquanto o zagueiro já “bota pressão” em Yago, o atacante mostra potencial para disputar ponto a ponto com Giovanni Augusto nesta caderneta do professor Tite.

O técnico utilizou 27 jogadores em 14 partidas, e prova do estímulo à concorrência é que quase metade desse número já fez gol no ano. Haja crédito na poupança!

VEJA QUEM ESTÁ VALORIZADO!

Balbuena

Corinthians x Linense
1 gol em 5 jogos pelo Corinthians (Foto: Eduardo Viana/Lancepress!)

Jogou cinco vezes e já acumulou crédito com Tite, tanto que até superou Vilson na “ordem” dos utilizados por Tite. No sábado, contra o Linense, ele marcou seu primeiro gol em um cabeceio e ainda mostrou segurança na defesa. Concorre com Yago.

Alan Mineiro

Alan Mineiro, do Corinthians
4 jogos pelo Corinthians até o momento (Foto: Agência Corinthians)

Meia ainda está distante de brigar por espaço como titular, mas enfim ganhou elogios de Tite, que já havia criticado sua forma física anteriormente. Não foi mal no clássico contra o Santos e estreou como titular sábado. Está bem fisicamente.

Danilo

Danilo, do Corinthians
1 gol e 1 assistência em 12 jogos (Foto: Agência Corinthians)

Além de ser o segundo que mais jogou no ano, atrás só de Lucca, o veterano camisa 20 mostra incrível versatilidade: já foi usado em quatro posições ofensivas diferentes em seus 12 jogos oficiais na temporada. Foi ponta-esquerda ante o Linense.

Romero

Romero do Corinthians
7 gols em 12 jogos (Foto: Marco Galvão Agência Lancepress!)

Começou o ano como titular, mas perdeu créditos na briga com Giovanni Augusto e agora, aos poucos, recupera moral. Com os dois gols do fim de semana, o paraguaio chegou a sete no ano, cinco em jogos oficiais. Foi elogiado por Tite.