Bruno Cassucci
25/10/2016
15:37
São Paulo (SP)

O Corinthians está próximo de definir o novo responsável pelo departamento de futebol do clube. Ou melhor, os novos. O presidente Roberto de Andrade definiu nomear um diretor e também um adjunto para o setor, que no momento conta apenas com o gerente Alessandro Nunes.

Como publicado pelo LANCE!, Flávio Adauto é o favorito para chefiar o futebol do Timão. Vice de Comunicação alvinegro até 2007, na gestão de Alberto Dualib, o jornalista de 68 anos recebeu convite formal de Roberto de Andrade e pediu até esta quarta-feira para confirmar se aceita ou não. Caso a resposta seja positiva, ele definirá juntamente com o presidente quem será o seu auxiliar.

- Falei com o Roberto, trocamos uma série de ideias, mas não é uma coisa que pode se resolver em uma hora, tem que pensar. Não vou enrolar, pedi um dia para pensar, e ele entendeu. A gente tem amizade, conversamos, sempre fui uma pessoa que colaborou. Nunca almejei cargo algum - disse Adauto, em entrevista ao LANCE!.

O último diretor de futebol que o Corinthians teve foi Sergio Janikian, exonerado em maio do ano passado. Desde então, o diretor adjunto, Eduardo Ferreira, vinha acumulando funções. Contudo, ele entregou o cargo há dez dias, incomodado com a contratação do técnico Oswaldo de Oliveira sem a sua participação.

Eduardo Ferreira é muito ligado ao ex-presidente Andrés Sanchez, que também está afastado da atual diretoria do clube. O isolamento político de Roberto de Andrade, porém, não preocupa Flávio Adauto:

- Isso não afeta, pois qualquer que seja minha decisão continuarei apoiando o Roberto. A gente tem um grande grupo de amigos que são solidários a ele. Nunca deixei de estar lá no clube. Convivi bem com Mario (Gobbi), o Roberto, estive com eles no Japão, em todos os lugares que se falava de futebol... Não preciso me aproximar do clube, sempre estive presente - comentou.

O Timão vinha enfrentando dificuldades para encontrar o novo diretor de futebol. Antes de convidar Adauto, Roberto de Andrade ouviu negativas de Duílio Monteiro Alves e Carlos Nujud. Nos bastidores comenta-se também que Sergio Janikian foi convidado a voltar, mas também declinou.