Gabriel Carneiro
28/10/2016
13:23
São Paulo (SP)

O Corinthians tem seis rodadas do Campeonato Brasileiro para garantir sua vaga na próxima edição da Libertadores e está focado em terminar o torneio entre os seis primeiros colocados, a começar pelo compromisso deste sábado, às 16h30, contra a Chapecoense, em Itaquera. Apesar disso, o planejamento para 2017 já começou com as contratações acertadas de Luidy e Jô e a chegada de Flávio Adauto para o cargo de diretor de futebol do Timão. No dia da apresentação do novo dirigente, o técnico Oswaldo de Oliveira aproveitou para fazer um pedido especial. Especial até demais.

- Eu pediria o Ibrahimovic. Está bom ou quer mais? - brincou o técnico, antes de completar:

- Temos estudado bem o assunto, as necessidades que o elenco tiver vamos procurar suprir, mas estou conhecendo o grupo ainda, tem jogadores que me surpreenderam. Se antes eu pensava em substitui-los ou colocar em segundo plano, estou refazendo isso.


Oswaldo se disse surpreso com alguns jogadores que conheceu melhor nestas duas semanas de trabalho e fez diversos elogios ao elenco em sua entrevista coletiva desta sexta-feira. Ele, inclusive, preparou novidades na escalação em relação ao time que empatou com o Flamengo no último fim de semana: Pedro Henrique entra na zaga no lugar de Balbuena, Camacho volta ao meio-campo em substituição a Willians e Marlone volta à equipe para ocupar a vaga de Guilherme, suspenso, o que fará Romero atuar como centroavante. O treinador analisou as mudanças e espera que o time tenha o mesmo nível de rendimento do que nos 2 a 2 do Maracanã.

- Balbuena e Vilson ambos têm dois cartões amarelos e o Balbuena vem em sequência grande de jogos. Nesse jogo eu preferi poupá-lo e colocar o Pedro, que sempre entra bem, com autoridade na posição. Foi esse o critério que usei na posição. Normalmente o Balbuena volta contra o São Paulo ou com Vilson ou com Pedro. Se o Vilson levar o terceiro cartão joga o Pedro. A gente pensa em vencer o jogo de amanhã (contra a Chapecoense), mas não pode ignorar a sequência. Se eu perco Vilson e Balbuena teria que usar um garoto (Léo Santos) num momento importante, então é melhor se resguardar. O Camacho vinha numa sequência muito grande e foi preservado anteriormente, Willians entrou em função tática que eu precisava contra o Flamengo. Já no ataque teremos uma troca de funções com a suspensão do Guilherme, apenas isso - disse o treinador, que vê três de seus zagueiros em condições iguais e espera que o time não sinta falta do atacante principal.

- Eu estou esperando para ver o que vai acontecer. Nos três jogos até agora o Guilherme jogou, iniciou, foi bem, serviu, é um jogador muito importante. Usamos essa semana de trabalho para organizar o time para não sentir muito a falta dele. É um jogador que fica uma preocupação grande para ver o que acontece sem ele na equipe.