Gabriel Carneiro
20/06/2016
14:08
São Paulo (SP)

Alexandre Pato foi contratado pelo Corinthians em janeiro de 2013 e já passou pelas mãos de Tite, Mano Menezes e novamente Tite. A seis meses do fim do contrato do atacante de R$ 40 milhões com o Timão, o problema passou a ser de Cristóvão Borges, treinador apresentado pelo clube nesta segunda-feira. Como Pato está emprestado ao Chelsea (ING) até o dia 30 de junho, ainda não há uma definição a respeito da situação do ex-camisa 7, e o novo treinador admite ainda não ter conversado com a diretoria do clube a respeito da perspectiva de aproveitar o jogador neste segundo semestre.

- Em relação ao Pato ainda não conversamos. Tive pouco tempo e muita coisa para fazer, ainda não tive tempo - relatou Cristóvão, que acertou com o Corinthians no sábado, foi anunciado domingo e apresentado pelo clube nesta segunda, quando também comandou seu primeiro treinamento em campo.


O Corinthians espera negociar Alexandre Pato nas próximas semanas, já que se ele permanecer até dezembro poderá sair sem que o investimento do clube seja minimamente ressarcido. Incomodados com as frequentes recusas do atacante em se transferir para centros periféricos do futebol, como China ou Emirados Árabes, os dirigentes do Timão põem 30 de junho como prazo para o Chelsea definir se realizará a compra dos direitos econômicos de Pato, ou se o jogador despertará interesse de algum outro clube europeu. Caso nada disso ocorra, há possibilidade de ele voltar a ser aproveitado no Parque São Jorge.

Enquanto não sabe o que fazer com Pato, o Corinthians terá que buscar mais reforços para o segundo semestre. Apesar de 13 jogadores terem sido contratados neste ano (os zagueiros Balbuena e Vilson, os volantes Willians e Camacho, os meias Giovanni Augusto, Bruno Paulo, Marlone, Marquinhos Gabriel e Guilherme, e o atacante André, além de Alan Mineiro, Moisés e Douglas, todos do Bragantino, e já emprestados pelo Timão a América-MG, Bahia e Grêmio, respectivamente), a tendência é que o número aumente, já sob o comando de Cristóvão Borges.

- Existe já uma avaliação do grupo e conversamos. Vamos conversar mais, mas provavelmente precisaremos aumentar o grupo por causa das exigências da temporada. Estamos no meio da temporada com jogadores lesionados, suspensos. Tudo isso faz com que haja necessidade de peças de reposição, até porque logo vem outra competição - disse Cristóvão, citando a Copa do Brasil, que inicia sua fase de oitavas de final em agosto, e principalmente o fato de ter seis desfalques certos e quatro dúvidas para sua estreia, nesta quarta-feira, contra o Atlético-MG.