Mendonça corinthians treinamento

Mendoza se reapresentou ao Corinthians na terça-feira e ficará à disposição (Foto: Daniel Augusto Jr.)

LANCE!
13/01/2016
07:30
São Paulo (SP)

O técnico Tite busca remontar o Corinthians após a debandada que ocorreu neste mês de janeiro. Apesar das saídas de Renato Augusto, Jadson e Vagner Love, o treinador tem opções de sobra para o setor ofensivo.

Nos dois treinos que esboçou a equipe titular que iniciará a temporada, Tite manteve o esquema 4-1-4-1 do ano passado e testou Danilo na direita, no lugar que era de Jadson. Malcom permanece pelo lado oposto, enquanto Romero fica mais avançado, na função que era de Love.

Hoje considerado titular, o trio está longe ter um lugar garantido na equipe. Isso porque, além dos reforços que a diretoria pretende anunciar, como é caso de Guilherme, o Corinthians conta com outras opções para o setor.


O Timão já contratou os meias-atacantes Marlone e Alan Mineiro, que têm treinado entre os reservas. Outro que chegou e pode fazer a função pelas beiradas é um velho conhecido: Stiven Mendoza. O colombiano voltou de empréstimo do Chennaiyin, da Índia, se reapresentou na terça-feira, passou por exames e ficará à disposição de Tite.

+ Curta o LANCE! no Facebook

No fim do ano passado, dirigentes corintianos chegaram a dar como certa uma venda do colombiano no meio desta temporada. No entanto, agora, o clube não se pronunciou sobre a situação de Mendoza, que tem contrato com o Corinthians até 2018.


Quem também pode jogar tanto pelos lados como mais avançado é Lucca, que virou "talismã" no fim do Campeonato Brasileiro de 2015. Rildo e Luciano se recuperam de lesão, mas ficarão à disposição ainda no início deste semestre e aumentarão a concorrência. Além deles, os jovens Matheus Pereira e Matheus Vargas integram o elenco.


Há ainda, apesar de remota, a chance de Alexandre Pato permanecer no Corinthians e virar mais uma opção para Tite. O atacante, porém, está à espera de propostas de clubes europeus e não deve ir para a Florida Cup.

Cientes da concorrência, os jogadores terão dez dias nos Estados Unidos para mostrar serviço a Tite. Enquanto isso, a diretoria vasculha o mercado em busca de mais opções para setor ofensivo.