Lucca

Lucca na reserva é uma das alternativas estudadas por Tite para o Campeonato Brasileiro (Foto: Agência Corinthians)

Gabriel Carneiro
11/05/2016
12:08
São Paulo (SP)

Lucca já treinou dois dias consecutivos como reserva do Corinthians, e deve mesmo perder posição para Ángel Romero no domingo, data da primeira rodada do Campeonato Brasileiro, na Arena, contra o Grêmio. Ao mesmo tempo em que está próximo de perder a condição de titular com o técnico Tite, o camisa 30 vive o fim de uma chata novela que se arrastava nas últimas semanas: ele assinou a renovação de seu contrato com o Timão até julho de 2019 na terça-feira, e por isso concedeu entrevista coletiva nesta quarta. Apesar da felicidade por ter sido comprado pelo clube, o jogador precisou responder sobre o novo momento, de busca pela titularidade.

- Pressão vai ter todos os dias aqui no Corinthians, não adianta. O professor está definindo nesses dias se saio ou fico no time, então fico tranquilo. Estou bem psicologicamente e fisicamente e quero render nesse time. Primeiramente eu fico feliz pelo momento que o Romero está vivendo, confiança boa. É uma briga sadia, somos amigos e independente de quem jogar vai haver muito respeito. Se ele vai ter oportunidade o professor vai definir e eu vou respeitar. Ele trabalhou bastante e merece a oportunidade. Respeito e fico feliz pelo momento que ele está vivendo - sentenciou Lucca, que entende a possibilidade de escalação de Romero, mas não acha que teve queda de produção nos últimos jogos.


- Eu penso que não houve queda de rendimento. Eu não tive tanta regularidade em alguns jogos. Fazia boas jogadas, mas errava alguns passes. Mas eu sempre tentei o melhor possível. Se acontecer a troca não vou me abater, vou treinar bastante. E se ele me tirar da equipe vou trabalhar mais ainda para voltar - disse.

Contratado pelo Corinthians em setembro de 2015, Lucca foi o talismã da reta final do título do Brasileirão do ano passado e virou titular apenas nesta temporada. Dos 25 jogos oficiais da equipe na temporada, o camisa 30 atuou em 21, sendo 18 como titular. Ele também soma cinco gols marcados em 2016, números que fizeram o Corinthians investir cerca de R$ 5,5 milhões por 60% dos direitos econômicos, sendo parte paga ao Cruzeiro e outra ao Criciúma. Contente pelo acerto do novo contrato e por afastar as polêmicas sobre sua pedida salarial acima da expectativa, o jogador espera agora embalar no Timão.

- Vocês (jornalistas) têm o poder de falar o que querem e acabam passando informações que não são verdadeiras, me jogaram contra o torcedor. O torcedor via aqueles números e tinha razão, porque demorou e veio me chamar de mercenário. Não houve aqueles valores, não sei de onde vocês tiraram. Agora vamos esquecer isso aí e trocar a ficha pelo trabalho do time. Renovar o contrato dá um pouco mais de tranquilidade, mas você tem que ser o mesmo independentemente da situação. Era uma situação chata, mas se resolveu. Agora tenho que procurar não mudar minha condição - disse.