Gabriel Carneiro e Rodrigo Vessoni
14/06/2016
12:52
São Paulo (SP) 

O Corinthians tem chances de trocar um campeão mundial por outro nos próximos dias. Perto de perder Tite, que é alvo da CBF para assumir a Seleção Brasileira, o clube passa a planejar a difícil reposição do treinador, que tem contrato até o fim de 2017. Em uma prévia relação de possibilidades e desejos elaborada pela cúpula de futebol do clube, um nome agrada ao presidente Roberto de Andrade: Oswaldo de Oliveira, campeão mundial pelo próprio Timão em 2000 e atualmente no comando do Sport.

Oswaldo tem contrato até o fim do ano no clube pernambucano, mas alguns fatores o aproximam do Corinthians, especialmente o desejo do presidente. O fato de o treinador de 65 anos já ter trabalhado no clube, conhecer o ambiente e administrar o dia a dia sem declarações fortes ou grandes polêmicas agrada ao mandatário, que não deseja uma reposição arrastada.

A princípio, o Corinthians está disposto a dar uma importante sequência de trabalho a seu eventual novo treinador, assim como foi com os profissionais anteriores. Para Oswaldo, seria o primeiro período longo em um clube desde o Botafogo, em que ficou por dois anos. Depois, ele passou por Santos, Palmeiras, Flamengo e hoje o Sport, mas o tempo máximo de permanência nestes clubes foi de nove meses.

Apesar de agradar ao presidente, Oswaldo de Oliveira não é o único nome na lista de prioridades do Corinthians para repor a eventual saída de Tite. Pessoas próximas de Roberto indicam dois nomes em especial como preferências: Eduardo Baptista, hoje na Ponte Preta, e o velho conhecido Mano Menezes, dispensado há duas semanas do Shandong Luneng, da China, e atualmente livre no mercado - em 2014, porém, ele não foi um nome de agrado a Roberto, que decidiu trazer Tite de volta.

Outro profissional com boa aceitação, principalmente por parte do gerente de futebol Edu Gaspar, seria uma aposta no Parque São Jorge: Sylvinho, que já foi auxiliar de Mano e Tite no Corinthians e hoje trabalha na comissão técnica da Inter de Milão. O ex-lateral jamais dirigiu uma equipe profissional e está na Itália desde dezembro de 2014. É um nome que corre por fora.

Oswaldo de Oliveira iniciou sua carreira profissional no Corinthians, em 1999, após deixar de ser auxiliar de Vanderlei Luxemburgo. Ele foi campeão paulista, brasileiro e deixou o clube em junho de 2000. A outra passagem foi em 2004, com apenas cinco meses de trabalho. Eduardo Baptista foi preparador físico do Timão em 2007, época da última passagem de seu pai, Nelsinho Baptista, como treinador. Já Mano também teve duas passagens como técnico, entre 2008 e 2010 e 2014. Curiosamente, deixou o Timão para assumir a Seleção em 2010, exatamente como pode ocorrer com Tite seis anos depois.