RADAR/LANCE!
06/12/2016
16:34
Medellín (COL)

Nesta terça-feira, os médicos que seguem acompanhando os sobreviventes do trágico acidente aéreo envolvendo a delegação da Chapecoense voltaram a conversar com a imprensa. Em coletiva, o diretor do Hospital San Vicente, em Rionegro, na Colômbia, Ferney Rodríguez, o intensivista Edson Stakonski e o ortopedista Marcos André Sonagli passaram novas informações sobre o quadro clínico de cada paciente. 

O novo boletim não traz notícias tão animadoras. Pelo menos para Jackson Follmann e Neto. De acordo com os médicos, o goleiro teve uma pequena recaída, precisou ser novamente entubado. No momento, ele corre o risco de ter de passar por uma maior amputação na perna direita.

– Pelo menos três centímetros de osso serão retirados amanhã. Vou tirar um pedaço do osso que não está viável, que pode ter infecção. Se definirmos que mesmo com o curativo e tirando esse pedaço ainda esteja aumentando a necrose, vamos aumentar a amputação um pouco mais – explicou o ortopedista Marcos André Sonagli.

De acordo com as informações, Follmann está ciente disso. Neto, por outro lado, segue sedado e entubado. O zagueiro tem o estado mais crítico e passará por avaliações constantes para identificar a necessidade de novas cirurgias. 

– Neto está em estado grave, sedado, com respiração mecânica, nas últimas 12 horas esteve mais estável, ontem se estabilizou várias vezes. Os padrões de saturação são os mesmos, os de pressão são os mesmos, mas ele segue 100% dependendo do ventilador. Neto tem uma fratura na vértebra lombar, mas não temos como fazer a fixação no centro cirúrgico. Ele tem ainda uma ferida na perna esquerda, na tíbia. Abrimos, checamos, limpamos, não há sinais de infecção. Amanhã ele será submetido novamente a esse procedimento de abertura dos pontos. 

As boas notícias ficam por conta de Alan Ruschel e Rafael, que estão em boas condições e devem ser os primeiros a deixarem o hospital. 

– Alan e Rafael deram o passo para frente de sentar. Follmann daria também, mas optamos por entubá-lo, não quer dizer que teve uma piora. Rafael só não caminhou ainda como o Alan porque tem uma fratura no pé, precisamos corrigir isso – finalizou Sonagli.