RADAR/LANCE!
24/11/2016
12:21
Chapecó (SC)

Após escrever o capítulo mais incrível de sua história, a Chapecoense terá que disputar a inédita final da Copa Sul-Americana longe de sua casa. Como a Arena Condá não comporta a capacidade de 40 mil pessoas, uma exigência da Conmebol, o Verdão terá que jogar em outro local. Curitiba e Porto Alegre são as cidades mais cotadas.

Ainda sem confirmar onde mandará a partida, a Chape segue confiante, apesar de admitir que é uma grande perda. Maior artilheiro da história do clube catarinense, Bruno Rangel comentou o contratempo.

- A cidade de Chapecó se transforma quando jogamos, a gente sente isso. Eles fazem a diferença. Vamos perder isso, esse calor, mas sabemos que o torcedor vai estar onde estivermos, nos apoiando. Será mais um obstáculo para superarmos e outra pitada de sofrimento - disse Bruno, ao canal "ESPN Brasil".

O presidente da Chapecoense, Sandro Pallaoro, também se pronunciou sobre ter que jogar fora de Chapecó, local que foi palco do empate em 0 a 0 entre o time local e o San Lorenzo, que acabou eliminado nas semifinais do torneio, pelo critério gol fora de casa (na ida, 1 a 1, na Argentina).

- Estávamos conversando com o pessoal da Conmebol e no fim do jogo pessoal queria saber aonde era o jogo. Ainda perguntei se podia, mas a capacidade não permite, não temos tribuna de honra. Infelizmente não podemos jogar em Chapecó e temos até amanhã à tarde e as duas opções são Curitiba e Porto Alegre - explicou o presidente.

Os jogos da final da Copa Sul-Americana serão realizados nos dias 30 de novembro e 7 de dezembro.

Agora, a Chape espera o vencedor do confronto entre Atlético Nacional e Cerro Porteño, que jogam o duelo de volta nesta quinta-feira, na Colômbia. Na ida, empate em 1 a 1, permitindo que os Verdolagas avancem com um 0 a 0.