Jair Ventura assina bandeira da Chapecoense

Jair Ventura assinou uma bandeira da Chape que será exposta na sala de troféus do Glorioso (Foto: Felippe Rocha)

Felippe Rocha
02/12/2016
12:45
Rio de Janeiro (RJ)

Após o trágico acidente com o avião que levava o time da Chapecoense e o adiamento da última rodada do Campeonato Brasileiro, o futebol discute a realização ou não de determinados jogos na partida derradeira da competição. Há quem precise de pontos, há quem não precise, há quem julgue não haver clima para um evento esportivo. No Botafogo, o técnico Jair Ventura admite que tem sido difícil comandar treino, que dirá pensar em jogar, embora admita que irá cumprir o que lhe for determinado..

- É muito difícil trabalhar. Treinar é muito difícil. Para jogar também vai ser. Imagina o clima. Vocês, jornalistas, perderam muitos amigos, eu perdi amigos. Não precisa conhecer ninguém no avião para sofrer. Não sou eu que vou determinar o que vai acontecer, mas vai ser difícil. Vamos esperar para ver o que vamos fazer - analisou o treinador.

Jair estava nitidamente abatido na entrevista coletiva concedida no fim desta manhã. Vestido com uma camisa da Chapecoense, ele foi um dos que assinou uma bandeira da equipe catarinense que será exposta na sala de troféus do clube, como forma de homenagem aos mortos e respectivos familiares.

Dentre as vítimas da tragédia de terça-feira, o treinador alvinegro era amigo de Caio Júnior, que comandava o Verdão do Oeste. Caio foi treinador do Glorioso quando Jair fazia uma de suas primeiras temporadas como auxiliar permanente do clube.