Luciano Cabral

'Ele inicialmente nos tranquilizou, mas tudo mudou ontem (quarta-feira) (Foto: Mauricio Mano/Atlético-PR)

Vinícius Faustini
05/01/2017
12:56
Mendoza (ARG)

A expectativa pelos desdobramentos da investigação sobre o possível envolvimento de Luciano Cabral na morte de Joan Villegas, em General Alvelar (ARG), chegaram também ao Atlético-PR. Em entrevista ao LANCE! nesta quinta-feira, o presidente do clube, Luiz Sallim Emed, lamentou a dificuldade de saber as notícias apenas pela imprensa argentina e garantiu que está atento sobre novidades do caso:

- Nós, do Atlético-PR, tivemos muita dificuldade de saber o que aconteceu. Inicialmente, foi descartada a participação dele mas, com este fato novo, no qual ele foi incluído como suspeito, fica mais complicado de a gente saber outros detalhes. 

O jogador de 21 anos foi acusado de participar, ao lado de seis pessoas, do homicídio de Villegas no Ano Novo. Seu pai, José Cabral, já é visto como acusado da morte. Já Luciano Cabral foi detido ao prestar depoimento.

Em relação ao meia, Sallim afirmou que ainda não entrou em contato depois da reviravolta no caso:

- Ele nos tranquilizou, mas tudo mudou depois de ontem (quarta-feira) termos uma notícia nova no jornal. Colocamos o departamento jurídico do Atlético-PR à disposição, mas esta é uma questão muito pessoal, até por conta do desconhecimento do nível do envolvimento. E, certamente, ele contratou um advogado.

O mandatário ainda afirmou que o Furacão acionará um advogado assim que houver novidades sobre o caso:

- Não tem ninguém lá (na Argentina) por enquanto, porque pensávamos que a coisa estava resolvida. Mas cogitamos alternativas de acionar também advogados de lá, para saber como o jurídico do Atlético-PR vai agir.