Werley

Carlos Gregório Jr/Vasco.com.br

LANCE!
26/12/2018
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

O ano ruim da defesa do Vasco, com 91 gols sofridos no total, fez a torcida perder a paciência com vários jogadores do elenco em 2018. Porém, um deles termina a temporada com mais prestígio do que quando chegou: Werley. O zagueiro foi de opção no banco a líder do grupo, fechou o Brasileirão como titular e deve ser um dos pilares do time de Alberto Valentim em 2019. O LANCE! relembra.

​Contratado no fim de janeiro para dar volume ao elenco de Zé Ricardo, Werley teve poucas oportunidades com o treinador. Durante a maior parte, apenas substituto de Paulão e Erazo, dupla titular no primeiro semestre e que saiu da Colina pela porta dos fundos por contas de polêmicas com a torcida. Mas assim como os dois, o camisa 34 não teve bom rendimento na primeira metade do ano. Esteve em campo nas goleadas sofridas contra o Cruzeiro, por 4 a 0 em São Januário, e contra o Bahia, que venceu por 3 a 0 na Fonte Nova. Com Zé Ricardo, chegou a ser testado na lateral-direita, mas não funcionou. E quando começava a engrenar, sofre fratura no braço em lance confuso dentro da área: desfalque longo.

Com a chegada de Jorginho ao comando do Vasco e da intertemporada durante a Copa do Mundo, a oportunidade caiu no colo de Werley. Recuperou-se de lesão, ganhou espaço e, mesmo com resultados não tão bons, conseguiu uma pequena melhora no sistema defensivo. Formou com Breno talvez a dupla ideal no ano, mas, novamente, lesões. Dos dois lados. Werley sofreu fissura no pé e o companheiro sentiu o joelho novamente. A essa altura a zaga chegou a ser formada pelos improvisados Luiz Gustavo e Bruno Silva.

​Com a sequência de derrotas logo nos primeiros jogos de Alberto Valentim, o rumo da temporada parecia crítico. A defesa era um dos setores mais vulneráveis. E foi na reta final, em outubro, que Werley conseguiu uma sequência sem lesões, assumiu a titularidade e chamou a responsabilidade no Vasco. Ao lado de Castan, contratação de peso, reeditou dupla de 2005 da base do Atlético-MG e deu cara nova ao time. As boas atuações dentro de carro junto com a postura de líder fora dele foi essencial para o clube em 2018. Constantemente o atleta concedia entrevistas, garantindo ao torcedor mais desempenho e comprometimento. 

​O ano de Werley certamente não foi o melhor, já que passou quase cinco meses como desfalque no Departamento Médico. Mas para quem era reserva no primeiro semestre, a reta final garantiu mais prestígio para 2019. O zagueiro ainda foi responsável diretamente pela permanência na primeira divisão, quando bloqueou chute do Ceará no fim da partida no Castelão, evitando o rebaixamento. Para ele, o balanço da temporada é positivo: saiu maior do que entrou. E será um dos pilares de Alberto Valentim para próxima temporada.