Léo Matos, Cayo Tenório, Zeca e Riquelme

Léo Matos e Zeca não corresponderam no ano, mas Riquelme foi um dos destaques do Vasco (Montagem LANCE!)

Felipe Melo
04/12/2021
07:55
Rio de Janeiro (RJ)

O LANCE! dá sequência, neste sábado, a série que conta a história do Vasco na temporada a partir de cada posição. Depois de uma análise do desempenho dos goleiros, onde a insegurança imperou durante boa parte do ano, chegou a vez dos laterais. Uma posição que também foi criticada por pela torcida, mas que gerou uma revelação com qualidade e personalidade.


No lado direito, Léo Matos seguiu entre os titulares, porém não conseguiu fazer uma boa temporada. Com oito cartões amarelos na disputa da Série B, o lateral desfalcou a equipe em determinadas partidas. No clássico diante do Botafogo, em São Januário, foi expulso com 26 minutos prejudicando o time e sendo vaiado pelo torcedor.

+ Confira a classificação final da Série B do Campeonato Brasileiro 

Ao longo do ano, ele marcou um gol na vitória por 3 a 1 sobre o Flamengo pelo Carioca, mas na Série B não teve boas atuações e foi questionado. Ao longo da temporada, o experiente jogador disputou 43 partidas, marcou três gols e deu seis assistências. 

Na reserva, o jovem Cayo Tenório foi preterido pelos três treinadores que passaram pelo clube em 2021: Marcelo Cabo, Lisca e Fernando Diniz, e atuou em apenas quatro jogos na Série B. Nas vezes em que Léo Matos esteve suspenso, os comandantes optavam, na maioria das vezes, por deslocar Zeca para a direita. Ainda mais depois de Riquelme ser mais utilizado e agradar.

+ Posições: goleiros do Vasco em 2021 passaram insegurança e deixaram péssima última imagem

Pela esquerda, Zeca foi contratado pela experiência e números da carreira - medalhista olímpico em 2016. O início foi promissor com boas atuações no Carioca com direito a um golaço contra o Madureira. O desempenho caiu drasticamente no Brasileiro e o lateral falhou constantemente na marcação.

Alguns desses erros aconteceram na goleada sofrida para o Botafogo em São Januário. Os deslizes na marcação seja pela direita ou esquerda colocaram em xeque a continuidade do jogador para a próxima temporada. Ele terminou tanto em baixa que teve suas férias antecipadas ao lado de mais três jogadores. Foram 47 jogos, quatro assistência e um gol pelo Vasco em 2021.

+ Em carta, beneméritos criticam a proposta de sociedade anônima apresentada pelo Vasco

Em meio às frustrantes atuações dos jogadores de lado de campo, um sopro de esperança para o futuro vascaíno surgiu no horizonte. Sob o comando de Fernando Diniz, o jovem Riquelme ganhou espaço e empolgou a torcida por lembrar o ídolo Felipe - com as devidas proporções - e ter qualidade no apoio e personalidade.

Por ser muito jovem, o lateral ainda está em formação e poderá oscilar. Porém, mostrou que pode dar alegrias à torcida e se manter como titular do Vasco em 2022. Ao todo, foram 23 jogos com duas assistências e nenhum gol na temporada. 

+ Sem Ricardo Gomes, Fernando Prass deverá ser o coordenador de futebol do Vasco

Durante o ano, os três treinadores tiveram que improvisar no setor. O meio-campista MT atuou pela esquerda em alguns jogos e oscilou. Com a queda de rendimento, ele chegou a voltar para o Sub-20 ao lado de Juninho na era-Lisca. O volante Michel também atuou na lateral, mas conviveu com lesões e já deixou o clube. Contra o Vitória, na Colina Histórica, Bruno Gomes jogou na direita e não rendeu.