Campello - Vasco

Campello teve duas renúncias na diretoria em menos de uma semana (Foto: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama)

LANCE!
13/01/2020
12:32
Rio de Janeiro (RJ)

O presidente Alexandre Campello teve mais uma baixa na diretoria. Depois do vice-presidente de finanças, João Marcos Amorim, renunciar ao cargo na última sexta-feira, o o assessor da presidência, Horácio Junior, também pediu para sair nesta segunda. Em nota oficial, ele alegou divergências ideológicas, assim como Amorim, para entregar a posição.

Horácio Junior e João Marcos Amorim são integrantes do "Cruzada Vascaína". Após o VP de finanças renunciar, o presidente do grupo político afirmou que continuaria apoiando a gestão. João Ernesto, outro membro, continua como vice-presidente de relações especializadas.

Em ano eleitoral, Alexandre Campello se vê cada vez mais isolado na presidência. Como o LANCE! antecipou, Adriano Mendes, VP de controladoria e um dos personagens mais importantes da atual gestão, também pode pedir para sair nas próximas semanas. Hoje, a diretoria tem algumas pastas vagas. São elas: vice-presidente do departamento de futebol, marketing, patrimônio, gestão estratégica, desportos de quadra e salão, além da de finanças e possivelmente da de controladoria.

Veja a nota na íntegra:

"01 - NOTA DE RENÚNCIA

Todas as ações realizadas por mim até agora foram pautadas com responsabilidade. Esse tem sido o valor que sintetiza o que eu pude oferecer para o Clube.

02 - Sem terceirizações de culpa, as dificuldades que o Clube ainda passa são conhecidas e sempre que me coube, matei no peito os problemas e enfrentei com responsabilidade

A condução de um clube gigante como o Vasco exige sacrifícios, muito trabalho, dedicação e muita sintonia.

03 - É fundamental que o os dirigentes que auxiliam o Presidente da Diretoria Administrativa remem para a mesma direção, sob pena de avanços moderados aquém do que o Clube precisa. Não existe espaço para duas gestões.

04 - Infelizmente fiquei numa situação distante ideologicamente do Presidente da Diretoria Administrativa. Minha divergência é ideológica não é pessoal. É preciso dar espaço para que novos colaboradores, mais alinhados a ideologia do Presidente remem para essa mesma direção.

05 - Saio da gestão, mas isso não significa que irei tacar pedra no Presidente, ou passarei a fazer uma oposição raivosa ou coisa parecida. Apoiarei o que precisar de apoio e o que for bom para o Vasco.

06 - Não existe a preocupação partidária se as realizações previstas potencializam o presidente para a sua reeleição. Continuarei torcendo, um pouco mais de longe, para que o Vasco tenha um ano 2020 muito próspero em todos os sentidos.

07 - Renuncio meu cargo de forma irrevogável e honrado por ter participado de uma gestão que teve avanços significativos para o clube desde a estruturação dos seus processos internos até na modernização e ampliação do seu patrimônio.

08 - Agradeço aos amigos de trincheira da Cruzada Vascaína. A oportunidade de colaborar com o Clube foi mérito do trabalho e o apoio de todos os associados. Ainda sou grato pela compreensão e empatia dos amigos. Espero ter vos representado a altura.

09 - É preciso deixar registrado meu agradecimento a todos os funcionários do Club de Regatas Vasco da Gama, por todo o respeito, colaboração e empenho que pude testemunhar nesses 19 meses em que estive no Clube. Foi um período bem profícuo.

10 - Entrei para me doar ao Vasco e o Vasco me presenteou experiências incríveis e a possibilidade de conhecer pessoas maravilhosas nesse período. A bravura e o carinho com que os colaboradores, com que tive a felicidade de conviver, zelam pelo Vasco são admiráveis.

11 - Até mesmo aqui nesta rede social essa experiência tem valido a pena. O Vasco tem esse poder de sempre me dar mais do que eu serei capaz de retribuir um dia.

12 - Por fim, ao Presidente da Diretoria Administrativa e aos demais colegas que continuam nessa gestão meus sinceros votos de sucesso e muitas realizações para o nosso amado Vasco neste último ano desse triênio.

Saudações Vascaínas"