Mosaico - Vasco x Chapecoense

Torcida do Vasco fez mosaico no Maracanã com os dizeres "nós somos a história" (Foto: Luiza Sá)

Luiza Sá
09/12/2019
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Fora de campo, o Vasco viu 2019 se encerrar da melhor forma possível. Com o maior programa de sócios do Brasil e as obras do CT avançando, o Cruz-Maltino, porém, tomou um balde de água fria ao lembrar da realidade dentro das quatro linhas. O empate por 1 a 1 com a Chapecoense, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, escancarou as necessidades de uma equipe com limitações claras e que precisa de um planejamento melhor em 2020. A torcida, que apoiou durante os 90 minutos no Maracanã, expressou a insatisfação em forma de vaias e com os pedidos de "queremos jogador".

- O torcedor está no direito. Eles estão sendo uma parte importante do Vasco. Fazendo o clube manter a importância, ser gigante. Compareceram e lotaram o Maracanã. É normal e correto cobrar. Temos que exigir e nos cobrar como grupo. Temos que agradecer muito ao torcedor vascaíno. Foi fundamental durante o ano. O balanço tem que ser positivo, não ficar só com esse jogo. Tem que lembrar do time que se entregou o ano todo, que ninguém acreditava que o Vasco faria um campeonato digno. Isso fica. Peço que o torcedor acredite no Vasco. Entenda a importância dele, alimenta o clube, enaltece a situação. Questões táticas e técnicas tem direito de cobrar, mas temos que ficar com as coisas positivas - afirmou o zagueiro Oswaldo Henríquez.

Entre os pontos positivos, a construção do Centro de Treinamento em andamento, os 170 mil sócios-torcedores, eleições diretas aprovadas pelo Conselho Deliberativo, além do abraço dos torcedores no Maracanã e no treino aberto em São Januário. Outro fator que é encarado com otimismo é a renovação do atacante Talles Magno até outubro de 2022. Ele é um dos maiores ativos do clube atualmente. 

Entretanto, as partes negativas continuam em evidência. Mais uma vez, o Vasco perdeu pontos pela desatenção no final, algo que incomoda e foi comum neste Brasileirão, e fez uma partida tecnicamente limitada. Com jogadores em fim de contrato e necessidades em alguns setores, como no ataque, o Cruz-Maltino começa a pensar nas possibilidades para o próximo ano. A prioridade ainda é o técnico Vanderlei Luxemburgo, que não sacramentou a permanência.

- Todos querem que o Vasco brigue lá em cima. Esse ano deixamos alguns pontos para trás. Como no jogo de hoje. Foi um resumo da temporada, não conseguimos matar o jogo e levamos gol no final. Esperamos que o futuro do Vasco seja melhor. Um ano e meio no clube e pego carinho grande. Torço para que o Vasco possa se reerguer e fazer um time para ganhar títulos - afirmou o zagueiro Leandro Castan.

Isso tudo passará diretamente pela estabilidade financeira que o Vasco ainda busca. Tanto para acertar os salários atrasados quanto para manter as dívidas em dia em 2020. Além disso, é preciso ter ideia do quanto o clube poderá investir no próximo ano.

O clima foi de festa no Maracanã até a bola rolar. Porém, a torcida mostrou também a impaciência com o time, pedindo "vamos jogar", a saída de Ribamar e vaiando nos minutos finais. Foram 61.021 pagantes, o 12º maior do ano, e 67.395 presentes, o oitavo com mais pessoas de 2019.

placeholder