João Mércio Gomes
06/10/2018
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Desde que chegou ao Vasco, a esperança de gols da torcida é quase toda depositada no atacante Maxi López. Não é para menos: são três gols, assistências e jogadas de perigo em dez partidas pelo clube. Mas, quem pode brilhar no clássico contra o Botafogo é o compatriota Andrés Ríos. O histórico recente é muito favorável para o camisa 9.

Dos 12 gols marcados em 2018, quatro são contra os rivais. E dois deles contra o Botafogo, ambos pelo Carioca. No Brasileirão, fez os gols que deram o empate ao Vasco contra Fluminense e Flamengo. E agora reencontra o ex-treinador Zé Ricardo, em função diferente.

- O Ríos é segundo atacante, jogando dos dois lados, rodando bem. A língua facilita a comunicação deles, têm a mesma cultura, mesma escola. O Maxi é um 9 clássico. Como falei, o Maxi tem que estar mais próximo do gol - afirma o capitão Ramon.

Com Zé Ricardo, Ríos atuava como centroavante por falta de opções. Agora, ao lado de Maxi, pode botar em prática com suas características. No clássico em que atuaram juntos, contra o Fla, em Brasília, deu certo. A dupla de ataque é a esperança de Valentim para terça-feira. 

placeholder