São Paulo x Vasco

Vasco ainda busca a identidade vencedora após cinco meses de temporada (Foto: Miguel Schincariol)

Felippe Rocha
03/08/2021
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Cinco meses e dois técnicos depois, o Vasco segue produzindo insatisfações de diferentes setores do clube e da torcida. O time gerou críticas pouco contidas de Lisca após a atuação e a derrota do último sábado, para o Botafogo. Porém, se foram dez reforços até aqui, houve falhas na montagem do elenco? Quem decepcionou? Confira o sobe e desce dos jogadores contratados para esta temporada.

Vanderlei - Contratado para substituir Fernando Miguel, já defendeu pênaltis e foi destaque também recentemente. É um ponto de segurança.
Ernando - Apesar de não ser um primor técnico e também não ter a velocidade como ponto forte, é titular desde que chegou. Com os dois treinadores, além do interino Alexandre Gomes. A zaga, porém, sempre sofre.

Zeca - O lateral é outro constantemente titular, quase sempre pelo lado esquerdo. Costuma ter atuações regulares, mas não chegou a encantar a torcida.

Romulo - A segunda passagem do volante pelo Vasco tem sido decepcionante. São apenas oito jogos, problemas físicos e pouca solução em campo.

Michel - Contratado com o aval do ex-treinador, Marcelo Cabo, e sob polivalência elogiada pelo diretor executivo de futebol Alexandre Pássaro, o volante pouco fez até aqui. São sete partidas apenas.

-> Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

Marquinhos Gabriel - Muitas vezes criticado pela torcida pela pouca consistência com a bola no pé, o meia tem sido titular quase sempre. Ele se desloca e tenta achar companheiros, e o faz como há três anos não se vê no Vasco.

Sarrafiore - Contratado por empréstimo junto ao Internacional, entrou em campo 11 vezes, fez um gol, mas não conquistou a confiança nem de treinadores, nem da torcida.

Léo Jabá - O ponta não é sempre titular, mas quase sempre entra em campo. E tem participações importantes desde que chegou ao Vasco.

Morato - Com quatro gols em 21 jogos, já foi dos jogadores mais importantes do setor ofensivo. Fez gols contra Flamengo e Náutico, por exemplo. Passou por problema físico recente.

Daniel Amorim - Contratado sob desconfiança, passou a ser a única sombra de Germán Cano a partir do empréstimo de Tiago Reis. Até aqui, conseguiu cumprir a função de reserva de um dos melhores centroavantes do país e esperança de gols no jogo aéreo aos finais das partidas.