777 e Nene

A alta cúpula da 777 Partners já teve contato direto com o elenco do Vasco (Rafael Ribeiro/Vasco)

Felippe Rocha
05/08/2022
10:11
Rio de Janeiro (RJ)

Caso seja aprovada a venda da parte majoritária da SAF do Vasco, neste domingo, a rede de comando do Cruz-Maltino, no que diz respeito ao futebol, muda. A hierarquia montada a partir do presidente do clube deixa de chegar aos jogadores, que passam a seguir um organograma que tem origem nos EUA. Mais especificamente na 777 Partners, cujos sócios-fundadores são Josh Wander e Steven Pasko.

A empresa estadunidense possui outros diretores que têm rosto e nomes já conhecidos da torcida vascaína, como Juan Arciniegas. Na prática, porém, o futebol da 777 tem Don Dransfield como CEO. O ex-executivo do Grupo City tem, desde que foi contratado no final de maio, a missão de liderar não só o Vasco, mas também os outros clubes do grupo.

Abaixo dele está Johannes Spors, que era diretor do Genoa quando esteve no CT do Vasco pela primeira vez. Agora, promovido, é diretor esportivo da 777 Football Group. Ele também tem função global na companhia que tem ações em clubes da Itália, Espanha, França e Bélgica - mas promete fazer do Vasco seu carro-chefe.

Diretamente no Vasco, o nome mais importante até o momento é Paulo Bracks. O executivo chega para a função que teve Rodrigo Caetano e Juninho Pernambucano cogitados e sondados, mas sem avanço. O dirigente, até onde se sabe, será o primeiro na hierarquia exclusivamente vascaína. Vai se reportar a Johannes, assim como os diretores principais de Genoa (ITA), Standard de Liège (BEL), etc.

-> Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

Bracks já foi citado pelo Vasco, mas não anunciado. Já vem trabalhando de forma informal. Foi ele, diretamente, quem conduziu a sondagem a Odair Hellmann, por exemplo. Atual gerente de futebol do clube, Carlos Brazil segue sua rotina e deve continuar no departamento caso virada a chave efetivamente. Mesmo que sem a mesma autonomia.

Por outro lado, Luiz Mello, atual CEO do clube deve continuar na função. No clube, separado do futebol.