Internacional x Vasco - Luxemburgo

Luxemburgo volta ao Vasco e terá a missão de salvar a equipe de uma possível queda (Carlos Gregório Jr./Vasco)

Felipe Melo
02/01/2021
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Praticamente um ano depois, Vanderlei Luxemburgo está de volta ao comando técnico do Vasco. O experiente treinador teve uma boa passagem pelo Cruz-Maltino em 2019 e novamente aceitou o desafio de fazer com que o clube saia da zona da confusão e tenha uma reta final de Campeonato Brasileiro mais tranquila. Para isso, o novo comandante terá alguns desafios que o Lance! destrincha para o torcedor vascaíno. 

- O Vasco me fez um convite, mas eu não entendo como convite. Entendo como uma convocação. Acho que foi uma convocação para que eu possa contribuir com a minha experiência nesses 12 jogos que faltam para o Vasco se manter na primeira divisão. E também uma convocação que eu aceitei de pronto por tudo o que o Vasco fez comigo no ano passado - disse Luxemburgo.

+Confira e simule a tabela do Campeonato Carioca 2021

Melhorar a criação do time

Um dos grandes desafios de Luxemburgo em seu novo projeto pelo Vasco é fazer com que o time produza mais jogadas ofensivas e que a bola chegue com mais frequência ao seu artilheiro Germán Cano. Nos últimos jogos, sob o comando do português Ricardo Sá Pinto, o Gigante da Colina apresentou muita dificuldade nas transições ofensivas e no setor de criação, levando pouco perigo ao gol adversário.

+Olho no mercado: 20 jogadores que poderão ser contratados de graça a partir de 2021

Mesmo sem a presença do camisa 10, o argentino Martín Benítez, que deixou o clube e retornou ao Independente, da Argentina, caberá ao novo treinador fazer com que atletas como Andrey, Léo Gil, Carlinhos e Juninho possam render mais no meio-campo do time de São Januário. Nas últimas partidas, o que se viu foi um time bastante espaçado, sem tabelas e jogadas verticais.

+Hulk, Diego Costa… Veja bons atacantes que estão buscando novo time para 2021

Em 2019, o centroavante do Vasco de Luxemburgo era Marrony, atualmente no Atlético-MG. Com Cano, porém, o treinador terá um finalizador mais eficiente e que precisa de poucas oportunidades para estufar as redes. Na contramão dessa dificuldade de criação, o argentino já marcou 21 gols em 42 jogos na temporada e é a grande esperança da torcida para salvar o time da zona de rebaixamento.


Tornar a defesa mais confiável

Ao longo da passagem de Ricardo Sá Pinto pelo Vasco, a defesa teve momentos de altos e baixos e muita irregularidade. Ele implementou um esquema com três zagueiros, que no primeiro momento conseguiu ser uma pouco mais consistente. Contudo, sofreu gol em 90% dos jogos e tomou duas sonoras goleadas contra Ceará e Grêmio.

Diante disso, Luxemburgo terá a missão de corrigir os erros defensivos, sobretudo os espaços deixados à frente da área vascaína. Contra o Athletico-PR, o que se viu foi um sistema defensivo frágil e pouco combativo. Na sua primeira passagem, em 2019, o treinador conseguiu equilibrar o setor, o que rendeu bons resultados e um crescimento na tabela.

Recuperar jogadores importantes

Durante a passagem de Luxemburgo pelo Vasco, Talles Magno começou a ser aproveitado pelo treinador e foi revelado para o futebol brasileiro. O jovem iniciou bem e deu esperança ao torcedor Cruz-Maltino. com velocidade e ousadia, que os levaram a seleção sub-20.  Todavia, na temporada seguinte, o comandante foi para o Palmeiras, e Talles não foi mais o mesmo, sendo pouco produtivo à equipe e sendo facilmente envolvido pelas marcações adversárias.

A expectativa é que a joia volte a render com o retorno do comandante e seja lapidada para evoluir como atleta e ajude o clube a subir na tabela. Além dele, Yago Pikachu também tem tido um rendimento aquém do esperado e do que já apresentou no passado. O lateral parece outro jogador, mais disperso, perdido em campo e tem sido bastante questionado pela torcida.

Montar o time em um calendário curto e corrido


Em meio à pandemia, a temporada do futebol brasileiro só será finalizada em fevereiro. Com isso, Brasileirão, Libertadores, Sul-Americana e Copa do Brasil serão decididos nos dois primeiros meses de 2021. Apesar de só disputar a competição nacional, o Vasco terá um calendário curto e corrido para definir o seu futuro.

Nos meses de janeiro e fevereiro, o time entrará em campo nas doze partidas que restam para o fim do Brasileirão. Na zona da confusão, Vanderlei traça mais uma vez o objetivo de salvar o Vasco de um possível quarto rebaixamento de sua história. O elenco tem suas limitações, mas o técnico já mostrou eficiência em 2019, com um time inferior a esse, e tem condições de trabalhar não só taticamente, como psicologicamente, mexendo com os brios dos atletas.

Ser decisivo nos confrontos diretos

Por fim, os próximos jogos do Vasco serão decisivos na luta contra o rebaixamento. O time terá pela frente de maneira seguida Atlético Goianiense, Botafogo, Coritiba e RB Bragantino, assim como partidas contra Bahia e Goiás até o fim da competição. Cabe ao novo treinador fazer com que o Gigante da Colina seja eficiente nesses famosos confrontos 'de seis pontos".

Projetar também o futuro

Luxemburgo deve adotar o mesmo modelo de trabalho de 2019, com um passo de cada vez, para aos poucos se afastar da zona de perigo. No entanto, com a possibilidade de fazer cinco substituições nos doze jogos que restam, o treinador pode utilizar alguns jogadores da base que já pedem passagem no profissional. 

Um deles é o volante Bruno Gomes, de 19 anos, nome constante na seleção sub-20, que já demonstrou ser bem talentoso e pode aos poucos ter oportunidades. Outro é o lateral-esquerdo Riquelme, de apenas 18 anos, e que se espelha no ídolo Felipe para se firmar no profissional do Vasco. Cabe salientar que a base do Gigante da Colina é finalista da Copa do Brasil sub-20 e pode conquistar o título no próximo domingo, em São Januário.