Fellipe Bastos - Vasco x Madureira

Fellipe Bastos como titular foi uma das novidades do Vasco de Ramon Menezes (Foto: Rafael Ribeiro / Vasco da Gama)

Felippe Rocha
04/07/2020
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

A primeira e curta primeira etapa do trabalho de Ramon Menezes à frente do Vasco chegou ao fim. Após a vitória sobre o Madureira, treino regenerativo na última sexta-feira e, neste fim de semana, folga ao elenco. A partir de segunda-feira, aí sim, a evolução que todos consideram necessária será trabalhada. Mas com a percepção interna de que o copo está meio cheio.

- O início foi excelente, dois jogos e duas vitórias. Compramos a ideia do Ramon. Todo mundo se cobra muito, vamos usar esse período em que não vamos jogar para aprimorar o que falta, a marcação, etc. Dois jogos são pouco. Vamos trabalhar bastante para, no Brasileiro, darmos o nosso melhor - afirma.

O Vasco foi eliminado do Campeonato Carioca, mas ainda está vivo na Copa do Brasil e na Copa Sul-Americana. Como ainda não há definições sobre retornos destas competições - paralisadas em função da pandemia de COVID-19 - o Cruz-Maltino trabalha mirando o Campeonato Brasileiro, previsto para voltar em cinco semanas. Tempo de treinar.

- Ficar sem jogar é ruim para todos. Temos nos entregado desde o primeiro dia. Espero que possamos evoluir em relação a nós mesmos. É importante que tenhamos margem de evolução. Vamos trabalhar arduamente - garante Fernando Miguel.


O próprio treinador lamenta estar fora das semifinais da Taça Rio. Por outro lado, sabe no que a equipe vascaína precisa evoluir.

- Acho que tudo se resume ao trabalho. Em pouco tempo de trabalho já houve mudança e entendimento da ideia. Precisamos melhorar muito. Pós-perda... mas estou confiante para a sequência. Sei do que está por vir. São competições importantes e difíceis. Brasileiro, na Copa do Brasil estamos atrás, temos que fazer um grande jogo contra o Goiás, fora de casa. E a Sul-Americana, se tivermos - pondera o treinador.