Maxi López e Kelvin - Vasco

Maxi e Kelvin fazem trio de ataque com Pikachu na partida contra o Palmeiras (Rafael Ribeiro/Vasco)

João Mércio Gomes
25/11/2018
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Domingo de futebol, casa cheia e a taça de campeão brasileiro em jogo. Isso para o Palmeiras, que vai ao Rio de Janeiro precisando de uma simples vitória para garantir o título do Brasileirão 2018. Mas quem manda em São Januário é o Vasco, que promete força máxima para estragar a festa alviverde e garantir a permanência na Série A sem sustos nesta tarde.

- Palmeiras é muito forte e temos que ter cuidado com todos. Mas eles também precisam ter cuidado porque vamos jogar pra cima. Vamos dar nosso melhor para sair vitoriosos - afirma Pikachu, que não se importa se acabar beneficiando o rival Flamengo

- Vamos fazer nosso papel independente de favorecer time A ou B. A gente tem a possibilidade de concretizar a permanência agora para ir para o último jogo sem perigo.

A situação incomum já aconteceu no Vasco. Em 2004, o time brigava contra o rebaixamento e 'jogou água no chope' do Atlético-PR, que brigava pelo título, na Colina. Porém, nesta tarde, o Cruz-Maltino tem uma dúvida importante que pode fazer a diferença em campo: com a boas atuações de Fernando Miguel e a volta de Martin Silva após as convocações, quem será o goleiro? Pikachu despista.

- (Risos) Eu vou deixar esse abacaxi para o Valentim. Estamos muito bem servidos nessa posição, tanto o Fernando como Martin são grandes goleiros e vão nos ajudar bastante. Deixa ele que ganha bem pra isso.

Como fazer para marcar Dudu, candidato a craque do campeonato?
- Ele realmente está sendo um dos melhores do campeonato. É difícil, a característica dele é conduzir a bola com velocidade. Ele é forte, aguenta trombar com os zagueiros. Temos que ter com bastante atençao com ele, com Deyverson, Borja, Willian...

Você chegou ao 19º gol na temporada e é o artilheiro do Vasco no ano. O clube não está na melhor situação, mas seus números são bons...
- Eu avalio como muito positivo o ano e o campeonato, maravilhoso para mim. Em número de gols e jogos, está sendo maravilhoso. Mas boto o coletivo em primeiro lugar e antes temos que concretizar nossa permanência na primeira divisão. Quem sabe não dá para chegar na Sul-Americana?

Caso não vença, o jogo da vida pode ser contra o Ceará no Castelão...

- É difícil jogar lá, o Ceará cresceu muito no segundo turno. Estádio vai estar lotado, calor forte. Precisamos vencer agora para não correr esse risco.

placeholder