Ramon Menezes - Goiás x Vasco

Mesmo discreto, Ramon Menezes promove melhorias importantes no Vasco atual (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Felippe Rocha
27/08/2020
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

O carinho da torcida do Vasco pelo técnico tem razão de ser. Mais do que vencer, o time vence, convence, encanta e vai além: mostra um perfil camaleônico para se adaptar aos diferentes adversários e condições impostas. É o lado tático do "Ramonismo".

As primeiras formações do Vasco de Ramon mostraram Ricardo Graça pela direita da zaga, Yago Pikachu atacando como meia, Vinícius como um ponta quase lateral... mas o treinador já havia avisado que precisaria de opções, e mudou posicionamentos de Benítez e Talles num jogo, escalou três volantes num outro e até o lateral Neto Borges foi titular no meio-campo contra o Ceará. Cada adversário pode encarar um Vasco diferente. Contra o Goiás, Henrique atacou como nunca e marcou o primeiro gol dele como profissional.

- Tudo passa por estratégia para cada jogo. Estamos ganhando mais opções. Teve a volta do Yago, do Vinícius - que não tinha participado do começo de uma partida após a lesão. Hoje, optamos pela formação que começamos lá atrás. É estratégia. Em determinados momentos, optamos, pela plataforma do Goiás, vendo eles deixando só um atleta na frente, como deixaram o Rafael Moura, que poderíamos deixar os dois zagueiros e liberar o Henrique. Fico muito feliz com o que está acontecendo com o Henrique. É um menino de ouro - exalta o treinador, que vai além:

- Ele (Henrique) entendeu muito bem a função. Na minha opinião, é forte na fase ofensiva e defensiva. Tem condição de atacar tão bem quanto defende. Opção nossa, e ele vem nos ajudando muito. Nesses jogos, fico feliz pela entrega, mas por ele entender e jogar pelo grupo. Tudo que ele faz é pelo grupo. Tenho certeza que o torcedor está feliz - entende Ramon.

A próxima oportunidade para o Vasco-camaleão se apresentar será neste sábado. O clássico é com o Fluminense.