Posse Presidente Jorge Salgado

Jorge Salgado acumula funções no Vasco enquanto não define o departamento de futebol (Rafael Ribeiro / Vasco)

Felippe Rocha
02/12/2021
07:30
Rio de Janeiro (RJ)

Parecia difícil de acontecer, mas aconteceu. O Vasco jogou a toalha no dia 7 de novembro, ficou sem chances matemáticas de subir no dia 10 e no dia 11 técnico e diretor executivo deixaram o clube. Faltavam quatro jogos para o fim da Série B do Campeonato Brasileiro. Pois três semanas se passaram, a competição acabou e o departamento de futebol segue acéfalo.

O presidente do clube, Jorge Salgado, chegou a dizer, num vídeo a um torcedor, que Zé Ricardo estava próximo de ser o novo técnico e Ricardo Gomes de ter um cargo diretivo. O ex-treinador do clube entre 2017 e 2018 deverá mesmo voltar a São Januário, só que a negociação com o ex-zagueiro melou.

O Cruz-Maltino sondou Eduardo Freeland, do Botafogo; Anderson Barros, do Palmeiras, foi bem falado no clube cruz-maltino e Alexandre Mattos também foi desejado. Por diferentes razões, nenhum deles assinou como o próximo chefe do departamento de futebol vascaíno.

Então o Vasco chega ao segundo dia do último mês do ano com um treinador encaminhado, mas com o buraco no comando da pasta que é o carro-chefe da instituição. Isso faz com que Salgado tenha que seguir acumulando funções, mas dificulta a tomada de decisões fundamentais para o planejamento da próxima temporada.

Tanto é que as únicas saídas confirmadas até o momento já eram sabidas. Walber e Ernando já haviam até publicado em redes sociais o fim dos respectivos ciclos. A saída de Andrey também era de conhecimento público.

-> Confira a classificação final da Série B do Campeonato Brasileiro

Só que como é que há mais jogadores em fim de contrato. E, mais importante ainda, há uma reformulação a ser tocada e ela significa contratações. O Vasco precisa ir ao mercado se reforçar para um número de posições que quem tem que definir é... o departamento de futebol, há três semanas sem um líder.

É óbvio que o principal campeonato do Vasco em 2022 será a Série B, para a qual faltam meses. O problema é que os jogadores que - provavelmente - Zé Ricardo precisar podem já ser alvos ou estarem acertando com concorrentes.

O atraso que já existe faz do Cruz-Maltino largar atrás em relação aos times que permaneceram na segunda divisão, aos que subiram e aos que já caíram para ela. Não era fácil estar atrasado para o ano que vem após dar adeus ao atual tão precocemente. Mas aconteceu. Também isso aconteceu.