Alexandre Pássaro

Alexandre Pássaro enxergava discrepância entre dia a dia e partidas (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br)

LANCE!
19/07/2021
18:55
Rio de Janeiro (RJ)

Nesta segunda-feira, o técnico Marcelo Cabo foi dispensado do Vasco da Gama. Após o clube divulgar a decisão em suas redes sociais, Alexandre Pássaro fez um pronunciamento no CT do Vasco. O diretor executivo de futebol profissional agradeceu ao treinador, destacou os motivos para o desligamento, e também discorreu acerca dos planos para o futuro próximo. 

- Hoje é um dia triste no CT do Vasco, na Cidade de Deus, com a saída de Marcelo Cabo, a quem eu faço um enorme agradecimento. Uma pessoa que eu aprendi a admirar, que teve um trabalho dia a dia aqui, em tempo integral, para que a gente conseguisse melhores resultados - que entendemos que neste momento não foi possível, e por isso [houve] a decisão pela saída. Em momento algum eu, ou essa gestão, junto ao presidente Jorge Salgado, tomaremos decisões baseadas em impressões, senso comum ou pedidos externos. A gente toma as decisões com base na nossa convicção, e por isso talvez a surpresa de alguns na data de hoje com a saída do Marcelo. Mas isso tudo [é feito] com um planejamento, que a gente traça desde o início da Série B, e especialmente depois do jogo contra o Avaí. Um planejamento de rendimento e de pontuação - afirmou. 

EXPECTATIVA x REALIDADE
Ao falar do planejamento, Pássaro afirmou que o resultado obtido até agora não era satisfatório, especialmente em partidas importantes. Ele ressaltou que a atuação do time e a pontuação obtida na Série B do Brasileirão estavam aquém do tamanho do clube.

- Como eu disse na minha última entrevista, na sexta-feira, quando existisse uma distância grande entre a performance e a pontuação no campeonato, a gente teria que repensar. Foi o que aconteceu ontem. Embora a gente venha de uma sequência invicta em quatro jogos, no nosso entendimento, nos jogos mais importantes e do tamanho do Vasco da Gama, não tivemos nem resultado, nem desempenho como o esperado. 

PENSAMENTO NO FUTURO
Embora tenha destacado a confiança da gestão no trabalho do técnico, ele destacou a discrepância entre treinos e jogos. Entre os diversos fatores do desligamento, o diretor mencionou a preocupação com o restante da competição.

- A gente de forma alguma culpa o Marcelo, muito pelo contrário, só agradece a ele por ter nos trazido até aqui e ter topado esse desafio gigante com a gente. Mas ao mesmo tempo entendemos que, olhando para os outros dois terços do campeonato que estão pela frente, não poderíamos confundir a nossa convicção e esperança com o trabalho que estava sendo desenvolvido, com o que estava sendo mostrado nos jogos. Existia uma distância grande entre o que a gente trabalhava, planejava e se esforçava no dia a dia para o que estava acontecendo nas partidas. 

> Confira a classificação da Série B do Brasileirão 2021

MANTER A FILOSOFIA DE TRABALHO
Apesar da decisão, Alexandre Pássaro disse que busca iniciar um novo ciclo, mas que preza por continuar com a base estabelecida por Cabo. Ele também aproveitou para cobrar o elenco em relação ao desempenho e comentou o jogo contra o Náutico, no último domingo.

- A partir do momento que a gente entendeu que essa distância estava aumentando e não diminuindo, foi preciso interromper esse ciclo para que comece um novo, mantendo boa parte do trabalho do Marcelo, mas [de forma] que a gente consiga resultados melhores nesses quatro meses e meio, daqui até o final do ano. O trabalho segue, a nossa comissão permanente é capaz de conduzir esse trabalho até a chegada do novo treinador, que deve ser muito em breve. Temos total convicção e confiança no elenco, mas também se exige, como temos feito, um rendimento muito melhor do que temos tido. A entrega tem sido boa, ontem os jogadores foram um exemplo no segundo tempo, do tamanho que a gente espera, porém com rendimento e performance muito abaixo do esperado. Sabíamos que [o Náutico] era o líder, mas a gente também sabe o que é Vasco da Gama, quem é Vasco da Gama, e por isso a gente exige mais - disse. 

COMISSÃO PERMANENTE
Para o próximo confronto, quem assume o comando do time é Alexandre Gomes, técnico do sub-20. Na expectativa de conseguir um substituto em pouco tempo, Pássaro espera que seja a única partida com um interino.

- Por fim, informo que muito provavelmente, na partida de segunda-feira, o jogo será conduzido pelo Alexandre, treinador do sub-20, que foi efetivado na semana passada. É [ele] quem deve dirigir o time contra o CSA em Maceió. Na sequência, quem sabe contra o Guarani, dar início a esse novo trabalho para conseguir melhores resultados e performances para o Vasco da Gama.

Sob o mando de Marcelo Cabo, o Vasco conquistou 18 pontos em 12 rodadas. Na oitava posição na tabela, o clube acumula 5 vitórias, 3 empates e 4 derrotas na Série B do Brasileirão.