icons.title signature.placeholder LEO BURLÁ
11/11/2010
10:00

Um museu tem como função eternizar a memória. Para que esta perpetuação esteja garantida, o ideal é que o local seja visitado pelo maior número de pessoas possível.

O Museu do Futebol Sul-Americano, no entanto, foge à regra. Localizado em Luque, Paraguai, em frente à sede administrativa da Confederação Sul-Americana de Futebol, o que era para ser uma reserva da História do futebol continental é quase um museu fantasma.

Inaugurado no dia 29 de janeiro de 2009, apenas poucos grupos (e com agendamento prévio) têm  acesso ao espaço de mil metros quadrados. Aliás, o esquema de marcação de visitas é tão sombrio quanto o próprio lugar. A explicação oficial para o franqueamento limitado das dependências é a de que a Conmebol aguarda a conclusão de um hotel que está sendo construído em frente ao espaço, que é anexo ao centro de convenções da confederação.

Gerenciado por uma rede brasileira do ramo, o hotel será o pouso preferencial de dirigentes que fo-rem ao Paraguai participar de reuniões na Conmebol. Atualmente, os cartolas têm de se deslocar até a capital, Assunção, para se hospedarem com conforto. Enquanto aguarda a conclusão das obras que beneficiarão os dirigentes, a população local não tem acesso à maior opção de lazer e cultura da região – talvez a única.

A reportagem do LANCENET! foi convidada a conhecer as dependências. O guia da visita privativa foi Alberto Benítez, funcionário da Conmebol. De acordo com ele, o acervo é composto por 1.688 objetos alusivos ao futebol da América do Sul. Há um grande espaço multimídia dedicado às Copas Libertadores, troféus das principais competições do mundo e imensos painéis das seleções. O fã do futebol certamente seria fisgado pela atração.

Torcedor do Cerro Porteño, Benítez é um verdadeiro armazém de in-formações sobre futebol.  Ele detalha números, datas, nomes de clubes e jogadores variados com brilho nos olhos. Não há pergunta que tenha ficado sem resposta, a não ser a última:

– Por que o museu não fica aberto em tempo integral?

Benítez se calou pela primeira vez em uma hora de passeio.

Barça e Museu do Futebol: exemplos bem-sucedidos

O Barcelona é um clube que  utiliza seu museu como uma forma de preservação da História aliada à geração de receitas. Localizado no Estádio Camp Nou, o museu é o segundo mais visitado da Catalunha, e recebe uma média de 1 milhão de curiosos a cada ano.

A visita ao local faz parte da agenda turística oficial da cidade. O visitante encontrará um apanhado completo da trajetória vitoriosa do Barça nas mais diversas modalidades esportivas. Por fim, uma imensa loja oficial de dois andares.

Situado abaixo da arquibancada do estádio do Pacaembu, o Museu do Futebol também faz sucesso. Desde que abriu suas portas, em 2008, mais de 800 mil pessoas conferiram de perto as exposições.