Dayana Yastremska

Divulgação

Tênis News
14/05/2021
16:41
Londres

Em reportagem desta semana, a revista alemã Der Spiegel, traz uma revelação bombástica sobre a defesa de Dayana Yastremska, jovem ucraniana de 20 anos, que está suspensa por doping desde de janeiro deste ano. Um ex-namorado da tenista está envolvido.

De acordo com a reportagem da Der Spiegel, a defesa de Yastremska tentou levantar a suspensão por doping na Corte Arbitral do Esporte (CAS) por duas oportunidades, alegando que o teste da tenista positivo para o esteroide anabolizante mesterolona ocorreu após uma relação sexual.

O ex-namorado da jovem estaria disposto a testemunhar a seu favor e teria feito exames de sangue para corroborar com a tese de contaminação cruzada defendida pela tenista que diz ser inocente.

Porém, a revista alemã teve acesso a uma série de "stories" no Instagram do ex da tenista que afirmou categoricamente que foi intimidado pelo pai de Yastremska a confessar que fazia uso do anabolizante e que na verdade o pai da tenista, Oleksandr Yastremskyi, é quem teria dado o anabolizante para a jovem.

Yastremska deve ser julgada no tribunal antidoping da ITF ainda este mês. A Der Spiegel ouviu um especialista em casos de doping, que informou que caso o exame do ex da tenista fosse de urina, a prova seria praticamente irrefutável. Segundo ele, exames de sangue em casos de esteroides anabolizantes não são confiáveis.

Se for verdade o que o ex da tenista afirma, ela poderia pegar a pena máxima do controle antidoping, 4 anos e mais uma sanção por adulterar provas do processo, que pode infligir em até 10 anos somando todos os possíveis agravantes. A princípio, a tenista será julgada por testar positivo no antidoping, num processo que pode ter pena máxima de 2 anos, dos quais serão abatidos os cinco que ela já está suspensa fora das quadras.