Bruno Soares e Mate Pavic

Darren Carrol / USTA

Tênis News
10/09/2020
18:59
Nova York

A campanha do segundo título do mineiro Bruno Soares nas duplas masculinas do US Open, desta vez ao lado do croata Mate Pavic, contou com uma campanha heroica com duas viradas importantes e deixando pelo caminho quatro campeões do torneio.

Campeão do US Open em 2016 ao lado do escocês Jaime Murray, Soares chegou ao US Open vivendo seu pior ranking da carreira, 27º, desde 2012, para disputá-lo pela segunda vez ao lado de Pavic.

A dupla, que havia sido derrotada na segunda rodada do torneio em 2019, não teve vida desde o início da competição em Nova York. Sem estarem entre os favoritos pegaram na estreia os cabeças de chave três e então atuais vice-campeões do torneio, na dupla do argentino Horacio Zeballos e o espanhol Marcel Granollers. A partida foi dura e a dupla chegou a estar uma quebra abaixo no terceiro set da partida, mas conseguiu a reação.

Na segunda rodada, Soares e Pavic encararam seu primeiro campeão do US Open, Jack Sock, que ao lado Jackson Withrow chegou a ter 7/5 5/3 com quebra, mas viu a dupla do mineiro reagir, forçar o tiebreak e virar a partida para 5/7 7/6 (5) 6/4.

Nas quartas de final, Soares e Pavic enfrentaram outro campeão do torneio, o escocês Jaime Murray, e seu novo parceiro, o inglês Neal Skupski. Ali, vitória dura em 6/2 7/6 (4).

Já na semifinal, a dupla do mineiro encarou o romeno Horia Tecau e o holandês Jean Jullien Rojer, campeões do US Open 2017.

Após superarem dificuldades, passarem por quatro campeões, Soares e Pavic enfrentaram os cabeças de chave oito, na dupla do holandês Wesley Koolhof e o croata Nikola Mektic, que faziam sua primeira final de Grand Slam da carreira de ambos. E com placar de 7/5 6/4, o mineiro e o croata ergueram seu primeiro Grand Slam juntos.

Pavic tinha, até então, um título do Grand Slam, conquistado no Australian Open de 2018, ao lado do austríaco Oliver Marach.

Já o brasileiro chegou ao seu terceiro título de Slam, tendo vencido o Australian Open 2016 e o US Open daquele mesmo ano, ambos ao lado de Jaime Murray. Nas duplas mistas, o mineiro venceu o US Open 2012 ao lado da russa Ekaterina Makarova, de 2014 ao lado da indiana Sania Mirza e do Australian Open 2016 ao lado da russa Elena Vesnina.