Roger Federer e Mirka Vavrinec

Reproduçao

Tênis News
30/07/2020
15:41
Basileia (Suíça)

O suíço Roger Federer concedeu no início do mês uma entrevista ao canal suíço SRF ao lado da triatleta Nicola Spirig, falando de sonho olímpico, similaridades, e Federer voltou a falar da importância da esposa em sua carreira.

Os dois atletas conversaram sobre o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, no Japão para 2021 e as expectativas de competir. Federer revelou que estava tão dedicado aos Jogos que uma de suas filhas "queria aprender japonês".

Submetido a duas intervenções cirúrgicas no joelho, o suíço revelou que acredita que estará 100% para retornar ao circuito profissional em 1º de janeiro e recordou o bloqueio do circuito em razão da pandemia da COVID-19. "Agora há um bloqueio de condições de 20 semanas. É um longo caminho, mas estou pronto. [...] espero ainda poder jogar tênis quando voltar", disse rindo.

Ao falar sobre a mulher, Mirka, Roger Federer recordou porque ela desistiu da carreira profissional de tênis ainda muito jovem: "Mirka investiu tudo. Ela passou por uma cirurgia ruim e não saiu bem da reabilitação. Ela sempre teve problemas nos calcanhares dos quais nunca se recuperava. No entanto, foi fácil para ela decidir nas circunstâncias", disse ele que conheceu a esposa durante os Jogos Olímpicos de 2000 em Sidney, na Austrália.

O relacionamento começou com uma amizade, revelou Federer, que acompanhou o momento de decisão de parar com o tênis profissional de Mirka. "Eu disse: 'Você não gostaria de parar?' e logo então eu venci Wimbledon e olhando pra trás e conversando com ela, entendo o quão maravilhoso foi o que ela fez, colocando a própria carreira de lado. Ela disse pra mim: "Não tem problema, isto é mais importante pra mim. Juntos podemos construir algo fantástico"", recordou.

Como sempre faz, Federer credita sua carreira vitoriosa com 20 títulos do Grand Slam e mais de 300 semanas como líder absoluto no tênis mundial à esposa. Mirka Federer é também a responsável que ele, prestes a completar 39 anos (8 de agosto) siga jogando tênis profissional. “Ela incrivelmente me apoiou sempre. Eu teria parado há muito tempo se ela não tivesse dito: 'Vamos lá, continue' ".

Federer ainda ressalta que se a mulher desejar, ele se aposentarás das quadras: "Se ela tivesse me dito: 'Por favor, pare, eu não quero mais continuar assim', eu teria parado . Agora também precisamos encontrar um equilíbrio com os quatro filhos, não é mais como quatro, oito ou dez anos atrás, isso é certo” .