Rogério Caboclo e Tite na Granja Comary

(Foto: Reprodução / CBF TV)

Fabio Chiorino e Rodrigo Borges
04/06/2021
07:05
São Paulo (SP)

Não foi com todas as palavras, mas Tite, enfim, deixou a verborragia de lado e admitiu o clima pesado nos bastidores da Seleção Brasileira.

O treinador confirmou, em coletiva sem a presença de jogadores, que alguns atletas solicitaram uma reunião a portas fechadas com o presidente da CBF, Rogério Caboclo, para discutir a participação na Copa América, que teve sua sede mudada às pressas depois da desistência de Colômbia e Argentina.

Tite ainda disse que dará sua opinião sobre o tema após os jogos contra Equador e Paraguai, pelas Eliminatórias. Ainda não se sabe o motivo da insatisfação dos jogadores. Se forem os que atuam no futebol europeu, como noticiou a Rádio Gaúcha, pode não apenas o risco da pandemia, mas também a redução das férias para jogar um torneio extremamente desvalorizado pela própria Conmebol e com duração injustificável de um mês.

Caboclo está pressionado por todos os lados, e o vazamento recente de áudios que mostraram a interferência de Marco Polo Del Nero, banido do futebol por corrupção, no comando da CBF, só enfraqueceram sua posição no comando da entidade.

A Copa América é um estorvo diante de todos os impactos da pandemia na América do Sul e só se mantém de pé por causa dos compromissos comerciais. Porém, um boicote dos brasileiros, que teriam respaldo de jogadores de outras seleções que já se manifestaram contrários à realização do torneio no Brasil, pode transformar o torneio em pó.

O LANCE! Espresso é uma newsletter gratuita que chega de manhã ao seu e-mail, de segunda a sexta. A marca registrada do jornalismo do LANCE!, com análises de Fabio Chiorino e Rodrigo Borges. Clique aqui e inscreva-se.