Lucas Moura - São Paulo 2010

Lucas Moura jogou no profissional do São Paulo de 2010 a 2012 - FOTO: Divulgação/saopaulofc.net

LANCE!
25/03/2020
16:45
São Paulo (SP)

Lucas Moura, talvez a principal cria do CFA de Cotia e hoje titular do Tottenham, conversou com os fãs em uma live no Instagram da empresa que gerencia sua carreira - a 4ComM - e respondeu a diversas perguntas sobre o São Paulo. O atacante de 27 anos diz que retornar ao Morumbi está em seus planos.

- Eu tenho, sim, o São Paulo na minha cabeça, nos meus planos. Quando cheguei na Europa, eu tinha uma meta de ficar aqui por pelo menos dez anos. Já passaram sete, teoricamente faltam mais três, mas a gente nunca sabe o dia de amanhã. Tenho contrato até 2023 com opção de renovar por mais um ano, mas sinto muita vontade de um dia voltar para o São Paulo, vestir aquela camisa novamente, é o clube que eu amo, a quem eu devo muito, estou sempre acompanhando. Difícil falar. Pode ser daqui três, cinco anos ou pode ser daqui um ano. Futebol é muito dinâmico e é difícil cravar uma data - disse Lucas, antes de responder se cogita vestir outra camisa no futebol brasileiro:

- Não sei se iria conseguir, não. Minha cabeça, no Brasil, é totalmente voltada para o São Paulo. É o clube que me formou, onde fiz grandes amigos, onde passei quatro anos na base e um período fantástico da minha vida. Jogar no Morumbi lotado, conquistar um título da maneira que aconteceu, ver a torcida subindo uma bandeira minha. É um amor muito grande que eu sinto, difícil vestir outra camisa no Brasil.

Lucas jogou na equipe profissional do São Paulo entre 2010 a 2012, acumulando 128 partidas, 33 gols e um título, o da Sul-Americana de 2012. Seu jogo de despedida foi justamente a final daquele torneio, com direito a gol na vitória por 2 a 0 sobre o Tigre (ARG), no Morumbi. Rogério Ceni, então capitão do Tricolor, convidou o garoto para erguer a taça com ele.

Após cinco temporadas e meia no PSG, Lucas transferiu-se para o Tottenham e hoje acredita estar vivendo um dos melhores momentos da sua carreira.

- É um momento muito positivo para mim, pessoalmente falando. Em relação a números não é a melhor temporada, mas em sequência de jogos, atuações e desempenho, eu estava muito satisfeito, com a confiança do treinador. Foi a maior sequência de jogos que tive desde que cheguei na Europa, estava muito feliz e me sentindo cada vez mais à vontade e mais solto em campo.

Veja outras declarações de Lucas durante a live:

Fã de Fernando Diniz
Sou muito fã do trabalho do Diniz, um grande admirador e torcedor. Confio bastante. Tive a oportunidade de conhecê-lo quando ele estava no Oeste, bati um papo muito bacana. É um cara muito inteligente, que pensa de maneira diferente. Torço bastante por ser um cara que preza pelo jogo bonito e por eu ser são-paulino. O time já estava muito bem nessa temporada e vai crescer ainda mais.

Gostaria de ser treinado por Rogério Ceni?
Essa pergunta é muito boa. Seria uma honra, seria um grande prazer, uma satisfação ser treinado por ele. Pela capacidade, pela inteligência que eu sei que ele tem. Foi uma grande honra para mim trabalhar com ele. Ele merece tudo o que conquistou e o que vai conquistar. É um amigo meu, estou sempre torcendo, quem sabe um dia.

Conselhos para o amigo Antony na Europa

O Antony é um grande amigo meu, um grande jogador, que estourou muito rápido e com certeza vai brilhar muito no futuro. O primeiro conselho de tudo, não sei se ele já está fazendo, deve estar, seria fazer um curso de inglês. Isso é muito importante, o europeu olha muito isso, ele chegar no clube já sabendo se comunicar é fundamental. Outra questão é foco, vai bater a saudade da família, dos amigos, das coisas do Brasil, vai ter o frio aqui. Com certeza ele tem muito a brilhar aqui na Europa. Vai para um grande clube, provavelmente vai disputar a Champions League, tem tudo para crescer ainda mais.

A pausa por causa do coronavírus
Aqui na Inglaterra, como em muitos lugares, a solicitação é para ficar em casa. Recebemos mensagem via SMS do governo na sexta-feira pedindo para sair só em caso de necessidade mesmo. E aquela questão de higienização, para manter dois metros de distância, lavar as mãos... A rotina até que não mudou muito porque a gente é bem caseiro, gosta muito de curtir a casa. O Miguel (filho de Lucas) parou de ir para a escolinha, mas não mudou muito a rotina porque gosta muito de ficar em casa, ver filme, fazer churrasco.

Treinos durante a pandemia
A maioria dos jogadores está treinando em casa. A gente recebeu uma ordem para voltar aos treinos só no dia 6 de abril, mas tem profissionais lá no clube, então os jogadores que estavam lesionados podem fazer o tratamento lá e quem quiser, um dia ou outro, pode ir treinar no campo, mas no geral é para ficar em casa. É o que eu estou fazendo, treinando em casa para manter a forma. É um período muito delicado para a humanidade, um momento de muita reflexão. Um momento para a gente refletir sobre nossas prioridades. É o momento de parar, colocar a mão na consciência, revisar nossas prioridades, aproveitar as pessoas que a gente ama e pensar no próximo.

Desejo de voltar logo a jogar

Claro que fico na expectativa de voltar logo, até porque é muito ruim ficar preso em casa sem poder sair e ficar sem jogar futebol. Nosso time não estava em um momento tão bom, eliminado em todas as competições e brigando para chegar entre os quatro primeiros da Premier League, mas a expectativa para a próxima temporada é grande. O Mourinho pegou o bonde andando e não é fácil. A expectativa é conseguir a classificação para a Champions e ano que vem começar bem desde a pré-temporada, com nova filosofia, e almejar coisas grandes.

Hat-trick contra o Ajax no ano passado, na semi da Champions
Foi o grande momento da minha carreira, o momento mais especial. Claro que teve outros, como a minha despedida do São Paulo, que eu jamais vou esquecer. Mas pela grandeza, por ser Champions League, pela dificuldade da partida, perdendo por 2 a 0 fora de casa e tendo que marcar três gols em 45 minutos, foi muito marcante.