São Paulo x Coritiba

Sequência ruim fez com que Diniz voltasse a ser questionado (Foto: Maurício Rummens/Fotoarena/Lancepress!)

Fábio Lázaro
31/01/2021
06:00
São Paulo (SP)

De time sensação e líder com folga do Campeonato Brasileiro em dezembro, em um mês o São Paulo viu a sua maré virar completamente. A virada de 2020 para 2021 para o Tricolor foi tudo, menos um "feliz ano novo". 

O Soberano disputou cinco partidas em janeiro e não venceu. Foram três derrotas e dois empates, 12 gols sofridos, média de 2,4 por jogo, e apenas cinco feitos. Agora, neste domingo (31), o time do Morumbi tentará se despedir pelo menos dignamente do primeiro mês do ano, contra o Atlético-GO. 

O adversário, no entanto, vem de duas vitórias seguidas no Brasileirão, contra Fortaleza e Botafogo, e dos últimos cinco jogos perdeu apenas um, para o Atlético-MG, no Mineirão, no dia 17 de janeiro. Por sua vez, o Dragão tem dividido as suas atenções com o Campeonato Goiano e a Copa Verde, que acontecem junto ao Nacional. 

> Veja a classificação do Brasileirão e simule os próximos jogos

Derrotas doloridas e perda da liderança

Todos sabemos que, no futebol, mais ou menos hora a derrota chegará, mas no caso do São Paulo ela apareceu justamente nos piores momentos. Logo no primeiro jogo do ano, os comandados de Diniz foram irreconhecíveis e perderam por 4 a 2 para o Red Bull Bragantino, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança, pela XX rodada do Brasileirão. Porém, mais do que um acidente de percurso, o time são paulino engatou a má fase ao perder um clássico contra o time reserva do Santos no jogo seguinte.

Entre a derrota no San-São e o confronto direto contra o Internacional, que se aproximava da ponta da tabela, o Tricolor ainda empatou fora de casa contra o Athletico-PR, mas depois foi goleado por 5 a 1, em pleno Morumbi, pelo Colorado, no placar mais elástico que o time de Diniz sofreu desde a chegada do treinador, em setembro de 2018.