Rennes achou Júnior Tavares caro depois de vê-lo treinando por algumas semanas

Júnior Tavares foi promovido aos profissionais do São Paulo pelo ex-técnico do clube Rogério Ceni (Érico Leonan/saopaulofc.net)

Yago Rudá
27/06/2018
12:22
São Paulo (SP)

Com propostas de clubes do Brasil e do exterior, o lateral-esquerdo Júnior Tavares foi liberado pela diretoria do São Paulo e nem sequer se reapresentou com o restante do elenco tricolor na última terça. O jogador negocia sua saída do Morumbi e não está mais nos planos do técnico Diego Aguirre.

Como a comissão técnica pretende enxugar o elenco para as disputas do Brasileirão e da Copa Sul-Americana no segundo semestre e Tavares vinha sendo muito pouco utilizado no clube (apenas 5 jogos em 2018), não houve grandes problemas em sua liberação.

Em abril deste ano, o lateral foi cedido ao Rennes, da França, para um período de testes, mas acabou não sendo comprado pelos europeus após 20 dias no Velho Continente. A equipe francesa alegou que a pedida do São Paulo era alta e optou por não fazer o investimento. 

Profissionalizado no Grêmio, Tavares deixou o clube gaúcho para tentar uma nova vida no São Paulo. Para isso, aceitou jogar em Cotia, no sub-20. Subiu ao time de cima do Tricolor no ano passado, por indicação de Rogério Ceni e foi muito elogiado em seu início. 

Com o passar do tempo, porém, foi caindo de produtividade e perdeu espaço para Edimar no segundo semestre do ano passado. O retorno de Reinaldo o colocou como segunda opção no banco de reservas. Sem espaço, o jogador foi liberado para seguir sua carreira em algum outro clube.