Raí como diretor executivo de futebol é a nova aposta de Leco

Leco, presidente do São Paulo, e Raí, diretor-executivo de futebol - FOTO: Rubens Chiri/saopaulofc.net

Fellipe Lucena
21/12/2018
17:01
São Paulo (SP)

O Conselho Deliberativo do São Paulo aprovou, na noite de quinta-feira, a previsão orçamentária para 2019. Foi a última reunião do órgão neste ano.

No documento, o clube prevê receitas de R$ 471 milhões ao longo da próxima temporada, sendo R$ 120 milhões com a venda de jogadores. As despesas previstas são de R$ 470 milhões. A expectativa, portanto, é de superávit de R$ 1 milhão.

O orçamento ainda prevê o investimento de R$ 50 milhões em contratação de atletas. Trata-se apenas de uma previsão. Não significa que o clube vá gastar exatamente este valor com reforços.

Dos atletas já contratados para 2019, dois demandarão investimento: o lateral-esquerdo Léo Pelé custará R$ 3 milhões, pagos ao Fluminense, enquanto o atacante Pablo custará 6 milhões de euros (R$ 26,6 milhões), que chegarão a 7 milhões de euros (R$ 31 milhões) se ele cumprir ao menos três dos quatro anos de contrato. No caso de Pablo, o pagamento não será todo feito em 2019.